Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
#VirouViral Por Coluna Como surgem e se espalham os assuntos mais comentados da internet

Restaurante esclarece ‘VIP vitalício’ concedido a cliente

É 'very important' mesmo, é em qualquer restaurante e é para sempre. Mas as bebidas são à parte

Por Luísa Costa Atualizado em 30 jul 2020, 21h04 - Publicado em 18 jan 2017, 19h00

O vídeo da cliente que foi levada pela correnteza ao sair de um Uber e tentar entrar no restaurante Paris 6 se espalhou com velocidade gigante pela internet. Para além da videocassetada, o restaurante resolveu fazer uma caça à sua Cinderela – a cliente levada pelo “rio” da rua Haddock Lobo, em São Paulo, que não conseguiu aproveitar seu jantar – para oferecer uma “noite de estrela”, o que mais tarde tornou-se um “VIP vitalício”. Aí sim os internautas foram à loucura.

“Várias pessoas nos procuraram se identificando como a pessoa do vídeo, muitas fazendo brincadeiras, e chegaram até a me enviar uma mensagem por WhatsApp se identificando como a moça. Como já tínhamos encontrado, nem respondi”, conta Isaac Azar, sócio fundador do Paris 6, ao blog #VirouViral.

Mas como, afinal, descobriram quem era a desafortunada pessoa, já que as imagens do vídeo não ajudam? “A Nathalia A., que preferiu não se identificar, estava morrendo de vergonha. O intermédio foi feito por uma amiga que me procurou, mostrou o registro da corrida no Uber e o Kleber, segurança que a socorreu, reconheceu seu rosto”, explicou o sócio.

  • O “VIP vitalício” também suscitou dúvidas. Nathalia terá direito a jantar quando quiser em qualquer restaurante da franquia, mas Isaac esclarece que deverá pagar pelo serviço e pelas bebidas: “É como minha mãe faz quando vai a algum Paris 6. Temos uma lista de pessoas que consideramos da família: chegam, jantam e assinam”.

    Pelo visto, milhares de pessoas se interessaram pela regalia. E se ela se gostar tanto do restaurante que resolver comer lá todos os dias? “Será sempre bem-vinda. Mesmo que seja todos os dias, no café da manhã, almoço e jantar”, conclui.

    Continua após a publicidade
    Publicidade