Clique e assine a partir de 8,90/mês
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Como o TikTok está sendo usado para o assédio de menores de idade

Tia de uma adolescente procurou delegacia em São Paulo após homem pedir fotos nuas para menina de 13 anos

Por João Batista Jr. - Atualizado em 31 jul 2020, 18h47 - Publicado em 31 jul 2020, 18h21

Aplicativo do momento entre crianças e jovens, o TikTok passou a ser usado também por assediadores — assim como acontece com todas as outras redes sociais, aliás. A ferramenta, no entanto, chama a atenção por ser a plataforma favorita de usuários menores de idade. A tia de uma menina de 13 anos registrou um boletim de ocorrência nesta sexta, 31, na 4ª Delegacia da Mulher de São Paulo, comandada pela delegada Juliana Lopes Bussacos, para relatar o caso de assédio iniciado por meio do aplicativo chinês.

O homem começou a seguir a garota, uma estudante de 13 anos, elogiando os vídeos e performances dela na rede social. Criou-se, então, uma espécie de amizade virtual entre eles. O assediador pediu o WhatsApp da adolescente e, após algumas trocas de mensagens, solicitou fotos nuas. Ele afirmou ter 26 anos. A menina não enviou nenhuma imagem. A tia, ao descobrir sobre o teor da conversa, decidiu procurar a polícia.

ASSINE VEJA

Os 10 fazendeiros que mais desmatam a Amazônia Leia em VEJA: Levantamento exclusivo revela os campeões da destruição. Mais: as mudanças do cotidiano na vida pós-pandemia
Clique e Assine

“Esse caso serve de alerta para os pais monitorarem sempre as redes sociais de seus filhos”, diz a delegada Bussacos. A menina de 13 anos, assustada com a situação, deletou seu perfil no TikTok.

Em meio ao isolamento social ocorrido pela pandemia, o aplicativo chinês virou mania e ganhou uma série de novos influenciadores. As crianças ficam encantadas com o alcance obtido com seus vídeos de dancinhas — mesmo tento poucos seguidores, o conteúdo pode ser visto por milhares de pessoas. Seu alcance mundial aumentou na quarentena (só em abril, foram 107 milhões de downloads, três vezes mais que o mesmo mês de 2019). O app já ultrapassou a marca de 1,5 bilhão de usuários, segundo a SensorTower. Números específicos do Brasil não são divulgados.

Continua após a publicidade
Publicidade