Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Ricardo Rangel

Supremo derruba a decisão-pesadelo

A anulação da liminar de Kassio não anula, no entanto, suas consequências

Por Ricardo Rangel 8 abr 2021, 19h19

O Supremo, felizmente, e conforme esperado, derrubou a monocrática e alucinada decisão do ministro Kassio Marques de liberar igrejas e templos.

A anulação da decisão, entretanto, não anula o estrago causado pelo ministro. Com uma só canetada, Kassio conseguiu:

  • Pôr o Supremo em conflito consigo mesmo e desmoralizar ainda mais o tribunal.
  • Promover uma crise entre o Executivo e o Judiciário, já que administradores responsáveis, como o prefeito de Belo Horizonte, se sentiram na obrigação de não acatar a decisão, e desafiaram o ministro.
  • E, claro, provocar a infecção de milhares de pessoas, muitas das quais morrerão e/ou infectarão outras pessoas.

Para o chefe de Kassio, Jair Bolsonaro, cujo objetivo é o desmantelamento das instituições democráticas, a maximização de mortes e o caos generalizado, foi uma decisão irretocável.

Para o Brasil, foi um pesadelo.

Continua após a publicidade
Publicidade