Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Delcídio do Amaral pede nova licença, agora de 100 dias

Mas Comissão de Constitução e Justiça do Senado entende que isso não paralisará o processo de cassação

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 30 jul 2020, 22h49 - Publicado em 4 Maio 2016, 14h47

O senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS),  protocolou hoje pedido de licença de 100 dias para cuidar de “interesses particulares”. Assim, a votação de sua cassação, aprovada ontem na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar fica atrasada. Apesar de a Secretaria-Geral da Mesa do Senado considerar que o afastamento temporário do senador não pode paralisar o processo de cassação contra ele, sessão extraodinária foi agendada para as 9 horas de amanhã, quinta-feira, quando os advogados do parlamentar poderão acompanhar os debates e apresentar argumento finais, na tentativa de evitar futuros recursos do senador.

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado havia aprovado ontem, terça, com placar de 13 votos e 1 abstenção, relatório que pede a cassação do mandato do senador ex-petista Delcídio do Amaral, em resposta à representação movida pelos partidos PPS e Rede em dezembro, diante da prisão do parlamentar em novembro de 2015, flagrado em gravações ae tentar obstruir a Justiça com a fuga do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, para fora do país.

O relator na CCJ,  Ricardo Ferraço (PSDB-ES), criticou o pedido de licença de Delcídio e disse que o ex-líder do governo faltou quatro vezes a convocações para prestar depoimento e, portanto, houve amplo direito de defesa.

Publicidade