Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

As lanchas de Ideli – Doação ao PT “nunca deveria ter ocorrido”, diz ministro da Pesca

Por Rodrigo Vizeu, na Folha: O ministro da Pesca, Marcelo Crivella, criticou ontem o pedido de doação eleitoral que um empresário que tem contrato milionário com a pasta disse ter recebido de um funcionário do ministério nas eleições de 2010. “Minha opinião é a opinião de todo o Brasil. Isso não deveria nunca ter ocorrido”, […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 09h11 - Publicado em 3 abr 2012, 08h33

Por Rodrigo Vizeu, na Folha:
O ministro da Pesca, Marcelo Crivella, criticou ontem o pedido de doação eleitoral que um empresário que tem contrato milionário com a pasta disse ter recebido de um funcionário do ministério nas eleições de 2010. “Minha opinião é a opinião de todo o Brasil. Isso não deveria nunca ter ocorrido”, disse Crivella, depois de uma reunião com o setor pesqueiro, em Florianópolis. Ele disse que vai “tentar saber quem fez isso” e que distribuirá memorando interno “deplorando tal prática”. Dono da empresa Intech Boating, José Antonio Galízio afirmou ter doado R$ 150 mil ao comitê financeiro do PT-SC em 2010.

À época, a candidata a governadora pelo partido era Ideli Salvatti. Derrotada, ela virou ministra da Pesca e hoje chefia as Relações Institucionais. O PT catarinense comandou a Pesca desde a criação da pasta, em 2003, até a saída de Ideli, ano passado. Depois dela, assumiu Luiz Sérgio (PT-RJ), que classificou o pedido de doação como “malfeito”. Desde o início de março, Crivella, senador pelo PRB-RJ, é o primeiro não petista ministro da Pesca. Apesar de ter criticado o pedido de dinheiro, Crivella afirmou ter encontrado na pasta “muitas coisas boas” feitas pelo petista Altemir Gregolin, que era ministro quando teria sido pedido o dinheiro à Intech Boating. O Tribunal de Contas da União apontou superfaturamento e direcionamento da licitação para fornecer 28 lanchas no valor de R$ 31 milhões ao Ministério da Pesca. A empresa e Gregolin negam.

À Folha, Gregolin afirmou que nunca pediu doação quando ministro. “Também nunca autorizei nem tomei conhecimento de pedido dentro do ministério”, afirmou. Crivella disse que o petista tem “todo o direito de defesa” no caso. E acrescentou que a compra de barcos “nada tem a ver” com a arrecadação de fundos. “Acredito que seus argumentos [de Gregolin] vão esclarecer tudo”, afirmou o novo ministro ontem. Primeiro ministro da Pesca, o presidente do PT-SC, José Fritsch, também negou saber de pedidos de doações. No sábado, o empresário Galízio disse que foi procurado por um funcionário do ministério, cujo nome diz não lembrar, que teria afirmado: “Você, como parceiro, como fornecedor, poderia fazer doação”. Só depois alguém do PT-SC teria insistido.
(…)

Publicidade