Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Repleta de pautas importantes, CCJ de Alcolumbre está parada há 30 dias

Sabatina de André Mendonça é apenas uma das centenas de propostas paradas na comissão

Por Gustavo Maia Atualizado em 28 out 2021, 13h39 - Publicado em 28 out 2021, 15h30

Não é só a sabatina de André Mendonça que está na geladeira da CCJ do Senado, presidida pelo senador Davi Alcolumbre.

A própria comissão está parada desde o dia 29 de setembro, quando teve sua última reunião. Esta, por sinal, foi comanda pelo vice-presidente da CCJ, Antonio Anastasia, com apenas um item na pauta. Enquanto isso, centenas de proposições legislativas seguem paradas no colegiado entre elas as análises de indicados para o CNJ, que entrou em um virtual apagão, como mostrou o Radar.

Na avaliação de senadores ouvidos pelo Radar em reservado, Alcolumbre está fugindo dos colegas por causa da pressão para que marque a data da sabatina do indicado do presidente Jair Bolsonaro ao STF. E aproveita para fugir também das perguntas de jornalistas sobre o imbróglio.

A última vez em que o ex-presidente do Senado comandou os trabalhos da principal comissão da Casa foi no dia 22 do mês passado. Na ocasião, ele teve um bate-boca com o senador Alessandro Vieira, que reforçou a cobrança sobre Mendonça.

“A comissão mais importante do Senado está paralisada por capricho do seu presidente. É lamentável”, comentou Viera ao Radar.

Em tempos normais, a CCJ tem reuniões semanais, às quartas-feiras.

Continua após a publicidade

Publicidade