Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Servidores dos Correios fazem denúncia à PGR contra ex-presidente da empresa

Servidores dos Correios enviaram à PGR uma denúncia contra o ex-presidente da empresa Giovanni Queiroz e contra diversos dirigentes da Postal Saúde, a Caixa de Assistência e Saúde dos Empregados dos Correios. Na denúncia sobrou também para o deputado Mario Heringer e para ex-vereador por São Paulo Netinho de Paula. Os servidores alegam que houve […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 22h36 - Publicado em 1 jun 2016, 19h19
Brasília - O novo presidente dos Correios, Giovanni Queiroz toma posse (Elza Fiuza/Agência Brasil)

Giovanni Queiroz: denunciado pelos servidores

Servidores dos Correios enviaram à PGR uma denúncia contra o ex-presidente da empresa Giovanni Queiroz e contra diversos dirigentes da Postal Saúde, a Caixa de Assistência e Saúde dos Empregados dos Correios.
Na denúncia sobrou também para o deputado Mario Heringer e para ex-vereador por São Paulo Netinho de Paula.
Os servidores alegam que houve um grande aparelhamento da empresa pelo PDT e que diversos técnicos foram demitidos para dar espaço a indicados políticos, o que não só prejudicou a qualidade dos serviços como também propiciou casos de corrupção.
Eles citam em especial a Postal Saúde, que administra o plano médico dos funcionários.
Dizem que ainda hoje está havendo gestões fraudulentas de contratos com empresas investigadas pela Lava-Jato.
Na representação eles ainda anexam uma lista de 124 nomes de pessoas contratadas pela Postal Saúde por indicações políticas e indicam testemunhas que podem esclarecer as falcatruas ao Ministério Público.
(Atualização – Os Correios entraram em contato com o Radar e disseram que “a Postal Saúde cancelou todos os contratos com empresas investigadas na operação Lava Jato, gerando uma economia de R$ 100 milhões para a entidade”. E que está à disposição da PGR para esclarecimentos).
Publicidade