Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Presidente do STM cobra presença da Justiça Militar no CNJ

Em reunião com Fux, general mostrou insatisfação com falta de assento no órgão

Por Lucas Vettorazzo 11 Maio 2021, 18h50

Em reunião virtual com a presença do ministro Luiz Fux nesta terça-feira, o presidente do STM, general Luis Carlos Gomes Mattos, deixou clara a sua insatisfação com o fato de a Justiça Militar não ocupar um entre os 15 assentos de conselheiros do CNJ. 

Ele manifestou, ainda que de forma discreta, seu desconforto por ser o primeiro representante do STM a participar de uma reunião estratégica na história do órgão, criado em 2005.   

Mattos esteve nesta tarde na primeira reunião preparatória para o 15º Encontro Nacional do Poder Judiciário. Parte do encontro foi transmitido pelo Youtube do CNJ.

A composição do conselho não prevê representantes da Justiça Militar. O presidente do STM, que assumiu o posto em março passado, disse que “apesar de o nosso tribunal, o mais antigo da Justiça brasileira, não ter assento, ainda, no CNJ, venho com satisfação, pela primeira vez, neste evento representando a nossa Justiça”.

Continua após a publicidade
Publicidade