Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Perseguição na mira

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) acabou de determinar a suspensão da sindicância aberta contra o juiz Bruno Ribeiro, titular da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal. Afastado do cargo, Ribeiro está respondendo a um processo administrativo por ter decidido apurar as andanças de Agnelo Queiroz na Penitenciária da Papuda, em visitas a seus […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 04h06 - Publicado em 4 abr 2014, 17h51
Acesso a tudo

Incomodado com quem cumpre a lei

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) acabou de determinar a suspensão da sindicância aberta contra o juiz Bruno Ribeiro, titular da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal.

Afastado do cargo, Ribeiro está respondendo a um processo administrativo por ter decidido apurar as andanças de Agnelo Queiroz na Penitenciária da Papuda, em visitas a seus amigos mensaleiros José Dirceu & Cia.

O corregedor substituto do CNJ, conselheiro Gilberto Valente assinou um ofício determinando que o processo contra Ribeiro fosse enviado à corregedoria do CNJ, que passará a ficar responsável pela apuração.

Gilberto Valente agora vai investigar os fortíssimos indícios de que o magistrado está sofrendo perseguição depois de incomodar Agnelo.

Afirma Valente:

– É um absurdo um juiz ser punido por estar cumprindo sua função como determina a lei.

Continua após a publicidade
Publicidade