Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Lira tenta tirar cheque de R$ 2 bi das mãos dos Calheiros em Alagoas

Disputa no STF envolve serviço de água e esgoto em 13 cidades que compõem a região metropolitana de Maceió

Por Robson Bonin Atualizado em 18 jun 2021, 17h58 - Publicado em 21 jun 2021, 09h29

Partido do presidente da Câmara, Arthur Lira, o PP apresentou na semana passada uma ação no STF para impedir que 2 bilhões de reais referentes à outorga do serviço de água e esgoto da região metropolitana de Maceió, que será prestado pela BRK Ambiental a partir de julho pelo prazo de 35 anos, fiquem à disposição do governador Renan Filho, filho do relator da CPI da Pandemia, o senador Renan Calheiros.

De acordo com a petição, o serviço de água e esgoto tem caráter municipal e as 13 cidades que compõem a região metropolitana deveriam ser beneficiadas com os recursos da outorga – e não o governo estadual que ilegalmente, segundo a peça, manobrou para que os recursos fossem direcionados a seu cofre.

Dentre os municípios da região metropolitana da capital alagoana está Barra de São Miguel, administrada por Benedito de Lira, pai de Arthur Lira. O BNDES – responsável pelo modelo do leilão do serviço de água e esgoto realizado no ano passado – e a Caixa – que gere 30% das ações da BRK Ambiental por meio do FI-FGTS – serão chamados em breve para participar dessa briga que só está no começo.

Publicidade