Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Eike abraça o dinheiro chinês

Eike Batista viajou na sexta-feira para a China e hoje selou com a gigante Wuhan Iron and Steel Group (Wisco) dois negócios graúdos. Primeiro, vendeu 21,5% da MMX para os chineses por 400 milhões de dólares. E fechou o acordo para a construção e operação com a Wisco de uma usina siderúrgica no Porto do […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 16h19 - Publicado em 30 nov 2009, 10h49

Eike Batista viajou na sexta-feira para a China e hoje selou com a gigante Wuhan Iron and Steel Group (Wisco) dois negócios graúdos. Primeiro, vendeu 21,5% da MMX para os chineses por 400 milhões de dólares. E fechou o acordo para a construção e operação com a Wisco de uma usina siderúrgica no Porto do Açu, que a MMX ergue no Rio de Janeiro. Eike será minoritário na siderúrgica: os chineses deterão 70% da empresa. A previsão é de uma produção anual de 5 milhões de toneladas de produtos siderúrgicos.

Publicidade