Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Dois votos

Sabendo que dificilmente o voto em lista será aceito pelos demais partidos, petistas passaram a defender um modelo de reforma política que dê dois votos para cada eleitor nas eleições para deputados federais, estaduais e vereadores.   De acordo com a fórmula, o eleitor votaria numa legenda e em um candidato desse mesmo partido. Assim, […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 12h15 - Publicado em 15 abr 2011, 18h41

Sabendo que dificilmente o voto em lista será aceito pelos demais partidos, petistas passaram a defender um modelo de reforma política que dê dois votos para cada eleitor nas eleições para deputados federais, estaduais e vereadores.
 
De acordo com a fórmula, o eleitor votaria numa legenda e em um candidato desse mesmo partido. Assim, os nomes mais votados que não fossem escolhidos pelos seus partidos para ocupar lugares privilegiados nas listas também poderiam ser eleitos.

A ideia tem como objetivo rebater as críticas de que o voto em lista seria na prática uma eleição indireta. Henrique Fontana, relator da Comissão da Reforma Política da Câmara, é um dos entusiastas da ideia.

Publicidade