Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Celso diz que Weintraub é investigado e deve ser tratado como tal

Ministro da Educação pedia ao STF para marcar dia e horário de depoimento em caso de racismo

Por Mariana Muniz - Atualizado em 4 jun 2020, 07h30 - Publicado em 3 jun 2020, 22h43

O ministro Celso de Mello, do STF, rejeitou o pedido apresentado pela defesa do ministro da Educação, Abraham Weintraub, para adiar o depoimento dele à Polícia Federal por suposto crime de racismo. A decisão é desta quarta-feira.

O depoimento está marcado marcado para acontecer nesta quinta-feira,  às 15h.  No início de abril, o ministro insinuou em uma rede social que a China poderia se beneficiar, de propósito, da crise mundial causada pelo coronavírus.

ASSINE VEJA

As consequências da imagem manchada do Brasil no exterior O isolamento do país aos olhos do mundo, o chefe do serviço paralelo de informação de Bolsonaro e mais. Leia nesta edição
Clique e Assine

Na decisão, Celso de Mello afirma que Weintraub não tem o direito de escolher o dia e o horário para ser ouvido pela PF, uma vez que essa prerrogativa é dada apenas “às testemunhas e às vítimas”.  “Sua inquirição deverá ocorrer independentemente de prévio ajuste entre esse investigado e a autoridade competente quanto ao dia, hora e local para a realização de referido ato”, disse o decano.

Publicidade