Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Paraná Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens paranaenses. Por Guilherme Voitch, de Curitiba

Ratinho Junior declara apoio a Bolsonaro e fala em “momento de ruptura”

O governador eleito do Paraná afirmou que primeiro turno deu recado aos "profissionais da política" e prometeu modernização administrativa no estado

Por Guilherme Voitch Atualizado em 30 jul 2020, 20h16 - Publicado em 8 out 2018, 01h06

Em sua primeira entrevista coletiva como governador eleito do Paraná, Ratinho Junior (PSD) afirmou, neste domingo, 7, que os resultados do primeiro turno em todo o Brasil demonstram um “momento político de ruptura”.

“As urnas responderam de uma maneira que pouca gente esperava e fazia a leitura. Foi um recado forte que o brasileiro deu aos profissionais da política”, disse o governador eleito, que já declarou apoio ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro, no segundo turno das eleições presidenciais.

Bolsonaro gravou mensagens de apoio a Ratinho no primeiro turno, mesmo com o PSL tendo lançado o advogado Ogier Buchi como candidato ao governo no Paraná. Durante a campanha, Ratinho também fez acenos a Bolsonaro, mas, em mais de uma oportunidade, afirmou que estava comprometido com a candidatura do paranaense Álvaro Dias (Podemos) à Presidência

  • O novo governador parabenizou também os dois senadores eleitos: Oriovisto Guimarães (Podemos) e Flávio Arns (REDE). “São duas pessoas íntegras e sérias que são apaixonadas pelo Paraná e vão ajudar a fortalecer nosso estado em Brasília”, disse. Questionado sobre o apoio que recebeu de diversos aliados do ex-governador Beto Richa (PSDB), mesmo com o PSDB integrando à coligação de Cida Borghetti (PP), Ratinho evitou falar em cargos e formatação do novo governo. “Não temos compromisso com ninguém”, garantiu.

    Ratinho também prometeu transformar o Paraná no estado mais moderno do Brasil. “Logo no início do governo iremos diminuir o número de secretarias, acabar com as mordomias e trabalhar pela modernização da parte administrativa do estado.”

    Perfil

    Ratinho Junior tem 37 anos e é formado em Marketing e Propaganda. Foi deputado estadual, federal e perdeu a eleição para a prefeitura de Curitiba para Gustavo Fruet (PDT) em 2012. Na gestão de Beto Richa no governo do estado, foi secretário de Desenvolvimento Urbano. Ratinho será, em 53 anos, o primeiro governador eleito pelo voto direto no Paraná que não foi prefeito de Curitiba ou senador da República.

    O último governador a ser eleito pelos paranaenses sem passar por nenhum desses cargos foi Paulo Pimentel, em 1965. Desde a redemocratização foram eleitos três ex-prefeitos de Curitiba (Beto Richa, Roberto Requião e Jaime Lerner) e dois ex-senadores (Alvaro Dias e José Richa). No período militar, o Paraná teve governadores sem passagem pelos dois cargos, mas eles foram eleitos pelos deputados estaduais, sem voto direto.

    Continua após a publicidade
    Publicidade