Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Paraná Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens paranaenses. Por Guilherme Voitch, de Curitiba

Ex-diretor da Secretaria de Educação, delator de Richa troca de advogado

Maurício Fanini passa a ser atendido por Tracy Reinaldet, responsável por outro acordo de colaboração que atinge o tucano Beto Richa

Por Guilherme Voitch Atualizado em 30 jul 2020, 20h24 - Publicado em 2 jul 2018, 10h31

O ex-diretor da Secretaria de Educação e amigo pessoal do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), Maurício Fanini, mudou de advogado. Fanini, que está preso desde setembro de 2017, chegou a apresentar, junto ao advogado Omar Geha, uma proposta de delação premiada à Procuradoria Geral da República (PGR). Na colaboração, à qual VEJA teve acesso, Fanini afirmava ter intermediado o pagamento de propina para o tucano entre 2012 e 2015, época em que Richa era governador do estado. O tucano negou as acusações e afirmou jamais ter recebido dinheiro desviado de cofres públicos. 

  • Acolhendo pedido da própria PGR, porém, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou o caso de Fanini para a Justiça Estadual. A mudança do processo foi seguida de uma mudança de advogado. Fanini trocou Geha pelo advogado Tracy Reinaldet, que fez a colaboração do ex-ministro Antonio Palocci. Recentemente, Reinaldet fez outra delação que atinge Richa, a do ex-diretor do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) Nelson Leal. As delações de Leal e de Fanini, dois aliados próximos ao tucano, são hoje as principais dores de cabeça para Richa.

    Publicidade