Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Amigo conta que vítima alertou militantes em acampamento pró-Lula

Jefferson Lima de Menezes teria desconfiado de "clima estranho" e pedido para as pessoas deixarem a rua

Uma das vítimas do ataque a tiros contra o acampamento de militantes favoráveis ao ex-presidente Lula, em Curitiba, Jefferson Lima de Menezes, de 39 anos, havia pedido para que alguns militantes que estavam na rua se abrigassem antes dos disparos na madrugada de sábado (28). O relato é de Felix de Barros, amigo de Menezes e diretor da Federação de Transportes do Estado de São Paulo — entidade à qual o Sindicato dos Motoboys do ABC Paulista, presidida por Menezes, é filiado.

“Ele estava deitado e levantou e viu algumas pessoas conversando na rua tomando chá e café e disse: ‘Gente, não dá pra vocês entrarem? Eu estou achando o clima meio estranho'”, conta Barros. “E aí o Jefferson viu um cara passando e fumando um cigarro. Foi esse cara que fez os disparos.” Barros cobrou apuração do crime pelas autoridades paranaenses e conta que Jefferson tem quatro filhos, sendo que um deles tem leucemia e está em tratamento. “Ele deixou tudo pra vir para cá defender o Lula Livre”, disse Barros.

De acordo com boletim divulgado na manhã desta segunda-feira  pela Secretaria de Saúde, Jefferson permanece internado na UTI do Hospital do Trabalhador, na capital paranaense. Ele está estável, acordado e respirando sem ajuda de aparelhos. Há chances de ele ser transferido para a enfermaria ainda hoje.

A segunda vítima é a advogada Márcia Koakoski, de 42 anos. Segundo ela, um bate-boca e ameaças de morte precederam o crime. Ela foi ferida no ombro por estilhaços de um banheiro químico atingido por um dos disparos. “Fisicamente não foi grave, mas estou abalada psicologicamente”, disse. Imagens de câmeras de segurança divulgadas pela polícia mostram um homem efetuando os disparos. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Pacífico Guerra

    Deveria todos esse militontos serem presos e processados por apologia ao crime e formação de quadrilha, só por apoiar o Luladrão.

    Curtir

  2. Paulo Bandarra

    Se as pessoas não respeitam as leis não podem se queixar dos outros iguais.

    Curtir

  3. Jose Carlos Carvalho

    O cara tem quatro filhos e dentre eles um doente e está fazendo o que acampado?É cada estorinha…

    Curtir

  4. Alex Thistle

    Se estivesse em casa e não defendesse bandidos teria acontecido isso.

    Curtir

  5. J.F. de Pinedo Kasper

    As notícias diziam que “passou um carro e seu motorista gritou impropérios contra os petistas” (liberdade de expressão); Como reação, petistas também revidaram com palavras (idem), mas alguns jogaram pedras no carro (agressão física atentando contra o direito anterior). O motorista parou o carro e disparou 7 tiros (legítima defesa). Elles estão colhendo o que sempre plantaram…

    Curtir