Clique e assine com até 92% de desconto
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O fraco desempenho dos parentes de Bolsonaro nas urnas

Primo distante do presidente fica em último na disputa pela prefeitura de Jaboticabal (SP); ex-mulher do presidente também não obtém vaga na Câmara do Rio

Por Juliana Castro Atualizado em 16 nov 2020, 11h12 - Publicado em 16 nov 2020, 10h51

Dois primos distantes do presidente Jair Bolsonaro ficaram longe de serem eleitos no pleitomunicipal deste ano. Na disputa pela prefeitura de Jaboticabal (SP), Marcos Bolsonaro (PSL) ficou em último lugar, com 4,01% dos votos válidos. Recebeu 1.340 votos. O eleito foi Professor Emerson (Patriota), com 42,54% dos votos válidos.

Em Itu, o dentista Marcelo Bolsonaro (DC) tentou se eleger vice-prefeito na chapa de Capitão Dias (DC), que ficou apenas em sexto lugar entre oito concorrentes. Eles receberam 1.960 votos (2,55% dos votos válidos). O eleito foi Guilherme Gazzola (PL), com 41,76%.

Filho Zero Dois do presidente, Carlos Bolsonaro foi reeleito, mas perdeu o posto de vereador mais votado. Sua votação foi menor do que em 2016. A mãe de Carlos, Flávio e Eduardo, Rogéria Nantes, no entanto, não conseguiu se eleger.

Publicidade