Clique e assine a partir de 9,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Twitter de ministério omite mortes por Covid-19 e divulga ‘placar da vida’

Mudança ocorreu logo após a saída de Nelson Teich do comando da pasta da Saúde e o início da gestão interina do general Eduardo Pazuello

Por Mariana Zylberkan - Atualizado em 21 maio 2020, 12h52 - Publicado em 21 maio 2020, 11h51

O perfil oficial do Ministério da Saúde no Twitter mudou, logo após a saída do ministro Nelson Teich, a forma de informar o quadro geral da pandemia do coronavírus no país. As postagens diárias passaram a trazer uma arte feita pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) com o título “Placar da vida”, que disponibiliza dados sobre “infectados com  coronavírus”, “brasileiros salvos” e “em recuperação”, e omite, portanto, os dados sobre mortes. A alteração se repetiu no Instagram do ministério.

A mudança no padrão das postagens ocorre desde o dia 18 de maio – Teich pediu demissão na sexta-feira, dia 15, após desavenças com o presidente Jair Bolsonaro em torno do combate à doença. O primeiro balanço omitido foi justamente o que trouxe o recorde de 1.179 mortes notificadas, na terça-feira 19. Antes o perfil oficial do ministério publicava o quadro completo da situação epidemiológica no país, com detalhes sobre casos e óbitos confirmados em cada estado, assim como os números de mortes registrados no dia. O boletim completo continua sendo disponibilizado no site da pasta.

Veja como era a publicação até 18 de maio:

E como tem sido feito agora:

Junto com as informações, há a hashtag “ninguém fica para trás”, lema clássico das Forças Armadas. Desde a saída do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, cargos estratégicos do órgão vêm sendo ocupados por militares indicados pelo agora ministro interino, o general Eduardo Pazuello.

O ministro-chefe da Casa Civil, general Walter Braga Netto, e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, general Luiz Eduardo Ramos, reclamaram em diversas ocasiões da atenção exagerada, segundo eles, que a imprensa concede aos óbitos na cobertura da pandemia.

Continua após a publicidade

Na terça-feira 19, o país ultrapassou pela primeira vez a marca de mil mortes registradas em um único dia (foram 1.179). Até esta quarta-feira, haviam sido contabilizados 18.859 óbitos e mais de 290.000 casos confirmados, segundo o Ministério da Saúde.

ASSINE VEJA

Covid-19: Amarga realidade As cenas de terror nos hospitais públicos brasileiros e as saídas possíveis para mitigar a crise. Leia nesta edição.
Clique e Assine
Publicidade