Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Itália deixou pior fase de emergência da pandemia, diz premiê

Giuseppe Conte cobrou bancos para que acelerem procedimentos para conceder empréstimos garantidos pelo Estado

Por Da Redação Atualizado em 21 Maio 2020, 09h31 - Publicado em 21 Maio 2020, 09h22

A Itália deixou a pior fase da emergência da pandemia de Covid-19 para trás e, à medida que as restrições são lentamente suspensas, o país deve agora entrar na nova fase com confiança e responsabilidade, disse o primeiro-ministro Giuseppe Conte nesta quinta-feira, 21.

“Podemos dizer que o pior está para trás… não podemos parar para esperar uma vacina, caso contrário ficaríamos com uma sociedade e um sistema de produção comprometidos irreparavelmente”, afirmou Conte, descrevendo o recente pacote de estímulo do governo no Parlamento.

ASSINE VEJA

Covid-19: Amarga realidade As cenas de terror nos hospitais públicos brasileiros e as saídas possíveis para mitigar a crise. Leia nesta edição.
Clique e Assine

O premiê também disse que os bancos “podem e devem fazer mais, especialmente para acelerar os procedimentos para conceder empréstimos garantidos pelo Estado”.

‘Risco não acabou’

Entre terça e quarta-feira, o país registrou 161 novas mortes, um número quase idêntico ao das 24 horas anteriores. O número total de mortes agora é de 32.330, de acordo com os últimos dados oficiais divulgados pela Defesa Civil. Foram confirmados 227.364 casos. Mais de 132.000 pessoas já foram curadas.

Atualmente, a Lombardia possui 26.671 casos positivos, seguidos pelo Piemonte (9.151), Emília-Romanha (5.098) e Vêneto (3.532). A Itália continua dobrando a curva de contágio, mas segue em alerta.

Por esse motivo, Conte alertou na quarta que o risco de contrair o vírus “não acabou” e que não é hora de “festas noturnas”, depois que imagens de grupos de jovens foram vistas durante a noite em várias cidades do país, após o relaxamento das restrições. “Não é hora de festejar e voltar à vida noturna. Caso contrário, a curva subirá novamente”, alertou.

O diretor de saúde do Instituto Nacional para Doenças Infecciosas Lazzaro Spallanzani (Inmi), em Roma, Francesco Vaia, disse que o mundo da ciência ainda está tentando determinar as características da Covid-19 e que o vírus somente será extinto com uma vacina.

  • (Com Reuters e EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade