Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro ergue caixa de cloroquina para saudar população em Bagé (RS)

Presidente está na cidade do interior gaúcho para inaugurar unidades de habitação popular

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 14h35 - Publicado em 31 jul 2020, 14h06

O presidente Jair Bolsonaro ergueu uma caixa de cloroquina ao desembarcar na tarde desta sexta-feira, 31, em Bagé (RS) e saudar a população que o aguardava aos gritos de “mito”. Com uma máscara preta onde lia-se “eu amo Bagé”, o presidente tirou a caixa de medicamento do bolso e a ergueu em meio à aglomeração. A comitiva presidencial está na cidade do interior gaúcho para inaugurar unidades de habitação populares.

O primeiro compromisso do presidente foi visitar a Escola Municipal Cívico-Militar de Ensino Fundamental São Pedro, onde se reuniu com o prefeito da cidade, Divaldo Lara (PTB), e assistiu a apresentações de cultura típica gaúcha. O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), não compareceu; ele testou positivo para coronavírus recentemente. A cerimônia de entrega das chaves de 1.164 moradias para famílias de baixa renda na cidade está prevista para o meio da tarde, antes de a comitiva voar de volta para Brasília.

Diagnosticado com Covid-19 no início de julho, Bolsonaro voltou a enaltecer a cloroquina, apesar de ainda não haver estudos científicos que comprovem a eficácia no tratamento contra a doença. Ao anunciar o teste positivo em uma rede social no início do mês, Bolsonaro disse que teve melhora nos sintomas após tomar o medicamento. Dias depois, se esquivou ao ser questionado sobre o uso do medicamento. Na ocasião, foi especulado que essa seria uma estratégia para evitar possíveis processos judiciais movidos por pessoas que tiveram problemas de saúde ao usar a cloroquina. Durante o tratamento com o remédio, Bolsonaro passou por exames cardíacos três vezes por dia uma vez que a cloroquina provoca alterações no sistema cardíaco.

‘Mofo no pulmão’

Em live transmitida em sua página em uma rede social, Bolsonaro disse que sentiu fraqueza na quinta-feira 30 e foi medicado com antibióticos para tratar “mofo no pulmão”. “Acabei de fazer um exame de sangue, estava com fraqueza ontem, estava com um pouco de infecção também. Estou agora [tomando antibióticos]. Depois de vinte dias dentro de casa, a gente pega outros problemas, peguei mofo no pulmão”, disse.

O presidente ficou no Palácio do Planalto durante vinte dias após ter sido diagnosticado com coronavírus. Nesta quinta, a primeira-dama Michelle Bolsonaro também testou positivo para a doença, mas seu estado de saúde é bom. Ela está sem sintomas e isolada no Palácio do Planalto.

  • ASSINE VEJA

    Os 10 fazendeiros que mais desmatam a Amazônia Leia em VEJA: Levantamento exclusivo revela os campeões da destruição. Mais: as mudanças do cotidiano na vida pós-pandemia
    Clique e Assine

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade