Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

De prescrição em prescrição

O foro privilegiado é o inimigo número 1 do déficit público.

É nisso que apostam e com isso que contam os detentores de foro privilegiado, o grande inimigo do déficit público: o Supremo está congestionado, é lento, e a sentença final vai sendo adiada.
Até que o roubo não possa mais ser punido, por força da lei.
A prescrição do crime que teria sido cometido pelo senador Romero Jucá antes da virada do século, e da qual tivemos notícia esta semana, não foi a primeira.
Há 10 anos, o caso da Frangonorte, sobre empréstimos irregulares do Banco da Amazônia à empresa do senador, também foi arquivado porque se esgotou o prazo.

Escrevi sobre isso em maio de 2016.
Na fila do senador, há um cardápio variado de 12 inquéritos no Supremo.
Enquanto isso, ele segue na presidência do MDB e na liderança de Temer no Senado.
Defendendo, entre outras, a reforma da previdência sob o argumento de que o projeto diminui a injustiça contra os pobres.
O contribuinte da cidade de Cantá, Roraima, de onde teriam sido surrupiados os recursos de um crime agora prescrito, têm bons motivos para não acreditar nessa retórica.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s