Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PT, PCdoB, PSOL e PSB insultam Bolsonaro ao menos quatro vezes em representação. Revide de esquerda pode?

ele-nao-abre-mãoFalei sobre o caso Maria do Rosário (PT-RS) x Jair Bolsonaro (PP-RJ) durante meu bate-papo com Joice Hasselmann na TVeja, gravado na quinta-feira (11). O trecho pode ser visto neste link, a partir dos 10min45seg.

O que fiz lá basicamente?

Contextualizei a discussão que gerou a ofensa inicial de Rosário a Bolsonaro, sintetizei o caso do estuprador “Champinha”, mostrei que Bolsonaro, ao contrário de Rosário, defendia penas mais rigorosas para estupradores e redução da maioridade penal, e declarei um maior repúdio moral a ela do que a ele, não só pela ofensa muito pior (“Estuprador”, “É sim”), como também pelo histórico de defesa de bandido e embuste, como na ocasião em que o comitê de campanha da deputada foi flagrado em áudio mentindo sobre o fim do Bolsa-Família em caso de vitória eleitoral de Aécio Neves. De quebra, alertei para a facilidade com que o PT editaria as frases polêmicas de Bolsonaro em eventual campanha presidencial de 2018, a fim de descontruí-lo.

Mas fiquemos nas ofensas.

Repudio mas não igualo a reação sarcástica imprudente e possivelmente injuriosa (“Não estupro você porque você não merece”) à injúria que a motivou. Esta é muito mais grave. Em caso de revide imediato, como foi o de Bolsonaro, a própria lei atenua o crime e prevê até perdão judicial.

Só não creio que chamar alguém de “estuprador” de modo puro e simples, como fizera Rosário, sem referências ao fato determinado que ensejou tal acusação, configure crime de calúnia, como se chegou a cogitar nas redes sociais. Trata-se de injúria mesmo, grave por si só.

Na semana passada, Bolsonaro citou o episódio de onze anos atrás, mas a tese defensiva de que ele tenha se limitado a isso talvez ficasse comprometida pelas declarações post-factum do deputado sobre os motivos estéticos que o levaram a dizer aquela frase. De qualquer modo, a troca de ofensas com Rosário parece ser o caso de situação acobertada pela imunidade parlamentar de ambos os deputados, não sendo possível falar de responsabilidade criminal.

Tanto ela (no evento anterior; em maior grau) quanto Bolsonaro (neste último; em plenário) extrapolaram, no entanto, os limites teóricos do decoro parlamentar, e nisso sujeitam-se a processo disciplinar. A aberração é que o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados o tenha instaurado somente contra Bolsonaro; e pior: que a Procuradoria-Geral da República (PGR) o tenha denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) por incitação ao crime de estupro, mesmo o deputado tendo dito que NÃO estupraria Rosário porque ela NÃO merece. “A campanha dela há poucos meses era ‘Eu não mereço ser estuprada’. Ela usou a frase que usei”, alegou ele.

A esquerda obviamente processa o deputado para, no mínimo, demonizá-lo, enquanto desvia as atenções do Petrolão e demais crimes ocorridos sob o governo Dilma.

Tanto é assim que, na representação encaminhada ao Conselho de Ética, as siglas PT, PCdoB, PSOL e PSB afirmam que Bolsonaro tem sido “extremamente misógino, preconceituoso, sexista e homofóbico, no exercício do seu mandato parlamentar”, o que nada tem a ver com o caso específico, mas funciona como propaganda contra o adversário político.

Fazer acusações genéricas com rótulos odiosos sem indicar e analisar os fatos que a fundamentam é um hábito consolidado na esquerda brasileira, como ficou claro na campanha contra Rachel Sheherazade (aquela mesma que nenhum desses partidos defendeu quando Paulo Ghiraldelli, este sim, desejou que ela fosse estuprada).

E não é curioso como a representação esquerdista insulta ao menos quatro vezes o deputado que ela própria acusa de quebra de decoro parlamentar? Como queríamos demonstrar na TVeja, eis o enésimo exemplo de aplicação da recomendação atribuída a Lenin: “Xingue-os do que você é, acuse-os do que você faz.” Para a esquerda, o revide é autorizado e legítimo, ainda que coletivo e não imediato.

Em todos os casos, não dá para igualar o sarcasmo reativo de Bolsonaro ao cinismo ativo desta gente.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Relembre também aqui no blog:
– O curioso caso de Ghiraldelli contra Sheherazade / Ghiraldelli não é esquerdista? Querem mais prints?
– O curioso caso de Fabio Porchat contra Rachel Sheherazade – Caixa é coisa do passado. Campanha agora é “Vem pedir cabeças você também!”
– O cinismo de Ricardo Boechat contra Rachel Sheherazade
– Vamos comparar Rachel Sheherazade e Francisco Bosco, em homenagem ao PSOL e ao Sindicato dos Jornalistas
– A CENSURA COMO ELA É – Ministro Thomas Traumann pressionou SBT para calar Sheherazade. Reunião foi em Brasília com o “companhêru” Marcelo Parada. Cadê o escândalo na imprensa? Cadê as manchetes nos jornais?
– País de estupradores, uma ova! IPEA admite que… eu estava certo! Ai, que chato! Maioria discorda de ataques às mulheres! Só falta o instituto, os jornais, a TV e os ativistas admitirem o proselitismo ideológico também
– Carta aberta a Manoel Carlos com sugestão de cena para a novela “Em família” – Autor acreditou em pesquisa do IPEA, chamou “mais da metade dos brasileiros” de “machistas” e “da idade das pedras”, fez proselitismo e deve desculpas
– Miss EUA pira feministas ao sugerir que mulheres aprendam autodefesa para evitar estupros

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Almerinda

    o Gustavo Bartos tem algum problema serio ou é só falta de carater mesmo???? Vou nem zuar vai que é doença!!!Nojo!!!

    Curtir

  2. Comentado por:

    alex souza

    Palavras valem mais do que ações? 60 mil homicídios por ano, corrupção até perder o fôlego, inflação, PIB, ameaças à liberdade de expressão. E o Brasil parece que vai desabar por causa de uma frase. Esse não é um país de loucos?

    Curtir

  3. Comentado por:

    odeio Gramsci

    Comentário do Geraldo – 16/12/2014 às 23:57 é excelente! É a lógica, mas parece que muitos tontos aí não enxergam ou não querem enxergar.

    Curtir

  4. Comentado por:

    joão carlos

    ESTES PARTIDOS DE ESQUERDA SÓ TEM BANDIDO. BOLSONARO PRESIDENTE.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Nelson Costa Silva

    Eu votei no Bolsonaro, mas o que fez foi dar muita munição ao PT e agregados, neste momento em que só se vê, fala, comenta Petrolão, estão os esquerdistas aproveitando para malhar o Deputado. Sabemos perfeitamente que querem exclusivamente retirar o PETROLÃO da ordem do dia. Comunico que acompanhei todos os movimentos na TV Senado e Camara.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Marcos Magalhães

    Jogo sujo político do PT… “assassinato de reputações” fatos distorcidos, quem vai cair nessa conversa demente dessa Maria do Rosário? que nunca se importou com as mulheres… pois ela defendeu o Champinha que estuprou e matou… PT atraves do IPEA fez aquela pesquisa ridicula sobre a mulher merecer ou não ser estuprada… até no SUS as mulheres tem menos direitos que os LGBTs.
    PSOL,PT, e outros, não medirão esforços para retirarem a oposição de suas causas… o que envolve tudo isso, é a vantagem de poder roubar, fazer caixa 2 sem que ninguem denuncie, como Bolsonaro faz.

    Curtir