Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Detonar é preciso – Mainardi 2002, Shapiro 2013, Horowitz 2014

É verdade que o terrorismo eleitoral do PT contra Marina Silva não surtiu o efeito esperado na mais recente pesquisa do Ibope – ou pelo menos não em favor de Dilma, já que Aécio subiu 4 pontos. Mas a suspeita de que o PT possa ter exagerado dessa vez, até mesmo para os seus padrões, não muda o fato – tantas vezes lembrado neste blog – de que detonar adversários é fundamental em qualquer campanha; e que o PSDB virou saco de pancada do PT justamente por não saber reagir à altura de seus ataques, dificuldade que Marina também tem enfrentado.

Nos EUA, não é diferente: os republicanos são lentos e frouxos para lidar com os democratas, como ficou claro na reeleição de Obama – e eu já mostrei o famoso vídeo de Ben Shapiro a esse respeito aqui. Agora meu compadre – e, como eu, autor contratado pela Editora Record – Alexandre Borges postou no Facebook a tradução do trecho de uma palestra do incontornável David Horowitz em seu Freedom Center sobre a troca de acusações durante uma campanha eleitoral. Mas para o panorama ficar mais completo, incluo abaixo, primeiro, um trecho de Diogo Mainardi de 12 anos atrás, depois do qual seguem os de Horowitz e Shapiro sobre o assunto.

Que a dita “oposição” aprenda antes que seja extinta.

Diogo Mainardi, 2002:

“O resultado dessa hegemonia do PT é que ninguém tem coragem de atacar Lula. A imprensa chapa-branca criou-lhe inclusive um escudo de força, decretando preventivamente que quem o atacasse perderia votos. E pediu uma campanha de ‘alto nível’. Ou seja, sem ofensas pessoais. O que adianta ter uma campanha de alto nível se os candidatos continuam de baixo nível? Eu acharia muito melhor se a campanha degenerasse numa pancadaria violenta. Como nos Estados Unidos, onde a imprensa foi atrás de notícias sobre a vida sexual de Clinton ou sobre as bebedeiras de Bush. O que teria sido mais útil para os eleitores brasileiros em 1960: debater as idéias de Jânio Quadros ou saber quantas doses de uísque ele tomava por dia? Lula disse que gosta de uma cachacinha. Pois eu quero saber quanto ele bebe. E quanto bebe o Serra. Chega de exaltar hipocritamente o debate de idéias. Onde já se viu um político brasileiro dotado de idéias? Vamos deixá-las para quem as tem. Nosso negócio é vida particular. Inclusive porque os únicos grandes movimentos da política nacional só ocorreram quando entrou em jogo a esfera privada, como demonstram os casos do irmão de Collor, da ex-mulher de Pitta ou do marido de Roseana Sarney. Queremos jogo sujo e golpes baixos. Queremos uma sórdida campanha difamatória, que rompa essa lei do silêncio, essa ‘omertà’, em que um candidato poupa o outro. Por que só eu devo ser insultado?”

[Artigo original – aqui.]

David Horowitz, 2014:

“Mike Tyson disse uma vez: todo mundo tem um plano até você acertar um soco na cara dele. Democratas tem socos na cara de sobra guardados para os republicanos. Toda eleição democratas estão acusando republicanos de racistas, sexistas, homofóbicos, inimigos dos pobres, egoístas e indiferentes ao próximo. É uma acusação moral, que almeja expulsar o acusado da política, afinal quem pode se defender de uma acusação que é quase impossível de ser refutada no meio de um debate político, quando você tem apenas poucos segundos para responder?

E qual é o soco da cara que republicanos têm guardado para os democratas? Nenhum, já que republicanos estão focados em contar ‘histórias positivas’ e eles até são bons nisso. Não sou contra histórias positivas e toda convenção republicana [de 2012] foi sobre histórias positivas de pessoas que vieram para os EUA e venceram, pessoas que nasceram pobres no país e tiveram sucesso e etc. Todos os consultores políticos dos republicanos, até o presidente da Heritage Foundation, disseram que o foco deveria ser histórias positivas.

Bom, se alguém está gastando 200 milhões de dólares para retratar seu candidato [Mitt Romney] como um predador corporativo, que deixa a esposa do ex-funcionário morrer de câncer porque você cortou o plano de saúde ou que trata cruelmente o próprio cachorro, os eleitores não vão ouvir suas histórias positivas ou não vão se importar com elas!

Se alguém acha que você é racista, ele não vai ouvir suas propostas políticas! E isso deveria ser óbvio. O que republicanos deveriam fazer? Qual deveria ser o soco na cara dos republicanos? Você tem que responder fogo com fogo! Parem de se defender, ataquem antes de serem atacados. Isso é o básico!

Política é uma briga de rua. Republicanos foram criados em ambientes polidos demais e têm aversão à briga de rua, preferem lutar pelas regras do Marquês de Queensberry [que inspiraram as regras do boxe profissional], adorariam que a política fosse uma discussão de propostas, mas não é! É um debate sobre se você maltratou seu cachorro ou não, essa é a realidade, e é assim desde o início dos tempos.”

[Palestra completa – aqui.]

Ben Shapiro, 2013:

Livros recomendados:
– O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota, de Olavo de Carvalho, com introdução, organização e notas de Felipe Moura Brasil;
Como vencer um debate sem precisar ter razão, de Artur Schopenhauer, com tradução, prefácio e notas de Olavo de Carvalho;
A tapas e pontapés, de Diogo Mainardi;
How to talk to a liberal (if you must), de Ann Coulter;
Bullies: How the Left’s Culture of Fear and Intimidation Silences Americans, de Ben Shapiro;
Take No Prisoners: The Battle Plan for Defeating the Left, de David Horowitz.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Facebook e no Twitter. Curta e acompanhe também a nova Fan Page.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Donne Santos

    Seria muito bom se esse artigo chegasse no Aécio ou na cúpula do psdb. São um bando de molengas. Bateu o lula primeiro chora e depois corre e se esconde.Essa é a receita contra Vira lata.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Itá Castanon

    Até aqui eu ainda imaginava que como mineiro estaria comendo quieto, veremos se daqui em diante ele consegue dar um truco nas concorrentas.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Carlos Campos

    Pois é… há quantos ANOS tanta gente tem falado aqui em Banânia sobre a postura que a oposição (oposição??!) deveria adotar no enfrentamento contra a seita PT? O embate deveria ser sobretudo moral e ideológico, mas as lesmas do PSDB, partido frouxo e anódino, preferem sempre fazer o jogo do bonzinho. Na pré-história do PT, temos seu líder máximo confessando que: 1- tentou, repetidas vezes, estuprar um companheiro de cela; 2- que aproveitava sua função no sindicado para “pegar as viuvinhas”; 3- se dizia admirador de Fidel (oh!), Khomeini, Mao Dzedong e Hitler. E no presente, temos o PT falsificando números e mais números (de pessoas atendidas pelo Mais Médicos até o tamanho da “nova classe média”) e roubando a Petrobrás para se perpetuar no poder. Entre esses dois pontos, décadas e décadas de abominação moral e perversão ideológica. Um prato cheio para qualquer adversário. Quero dizer, qualquer não, para o PSDB, o jogo do bonzinho um dia vai dar certo: podem passar quatro, cinco, dez, quinze eleições, um dia, o “bem” triunfará. É não menos que patético.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Antimarxista

    Que Aecio continue assim. Assim ele me representa mesmo!!!! Se já ia votar nele, gosto mais ainda quando ele arrebenta com as duas petistas (uma atual e outra atual também, mas disfarçada no Partido SOCIALISTA Brasileiro)

    Curtir

  5. Comentado por:

    Sandy

    Seca no Nordeste, falta de saneamento básico, ensino ruim, aumento de analfabetismo, saúde um caos, nenhuma obra grande de infraestrutura inaugurada e o PT gasta nosso dinheiro com estádios na Copa e Olimpíadas e empréstimos ( para isso mudou estatuto do BNDS) para países como Cuba ( construir seu porto e aeroporto), Venezuela ( metrô Caracas), Equador ( hidrelética), Bolívia ( transcocaleira), sistema de trem em outro país esquerdista da À frica…
    Marina ficou 8 anos no governo Lula e seu partido foi da base governista do PT até antes desta campanha.
    E deixar Marina (era Ala comunista do PT), sem experiência, competência governar o país nestas águas turvas da crise econômica que o Brasil atravessa e vai explodir pós-eleição?
    Fazer igual a Argentina, até interferir nas produções das empresas?
    Comunismo em cheio…

    Curtir

  6. Comentado por:

    nelson

    É isso aí senhor Felipe,concordo com sua linha de opinião! Bloguistas do bem, eg Reinaldo Azevedo e Augusto Nunes, embora façam críticas oportunas sobre Dilma e os petralhas, passaram a polarizar a disputa, como se só houvesse ela e a Marina no páreo.
    O Aécio é o único candidato não comprometido com o Foro de São Paulo e, quem entende o que está acontecendo, não pode jogar a toalha tão cedo.

    Curtir

  7. Comentado por:

    Carlos Alberto Boff

    Uma pequena lição que eu aprendi a duras penas e acho que serve para o caso: Você sempre deve verificar muito bem onde está metido, óbvio não? Parece que para os marketeiros de campanha isto não interessa porque êles tem a receita pronta, provavelmente “crtl+C crtl+V” dos marketeiros republicanos não é? Ah sim, com algumas tinturas modernetes Facebook+Twiter etc… Mas pelo jeito êles não viram bem o verdadeiro ambiente da disputa Americana. Mas fora isto o que nos interessa é que aqui temos uma realidade básica: Brasileiro que se preza gosta de barraco! E estes publicitários, que é o que êles são vendedores de margarina ou sabão em pó em ambientes perfeitos fazem só o que sabem, vendem um porvir risonho num país imaginário. O Diogo Mainardi matou a charada. O povo não quer frouxo no poder e isto é atávico em nós todos ou quem confiaria o futuro do país a um covarde?

    Curtir

  8. Comentado por:

    Luiz

    Obrigado pela compilação!

    Curtir

  9. Comentado por:

    Alexandre Sampaio Cardozo de Almeida

    São Paulo, 18 de setembro de 2.014
    Prezado Felipe,
    Concordo com a tese de sentar a borduna nos adversários. Essa estória de ser polido, educado, gentil, etc., só serve se a pessoa for candidata a uma cadeira na Academia Brasileira de Letras! O problema é incutir isso nas cabeças dos tucanos. Além de pusilânimes, são esquerdistas. Para mim, o PSDB tem inveja do PT. Tanto que ano após ano, abrem mão dos votos dos conservadores e liberais e humilham-se pelos votos dos esquerdopatas! Paciência.

    Curtir

  10. Comentado por:

    Paulo Painho

    Que falta faz um Ben Shapiro por aqui!

    Curtir