Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Por que a esquerda não consegue digerir Fernando Holiday

Militantes menos sofisticados da esquerda costumam achar que só eles defendem os pobres, os negros e os gays. Por isso não conseguem entender o mais jovem vereador de São Paulo

“Como pode um homem gay, negro e pobre ser de direita?”

A esquerda voltou a se debater com essa pergunta desde a vitória de Fernando Holiday na eleição em São Paulo. Aos 20 anos, o rapaz foi o 13º candidato mais votado a vereador.

Há respostas das mais variadas. “Ele encarnou um capitão do mato, é um negro contra os negros”, diz a explicação mais comum. Um daqueles sites patrocinados pelo governo Dilma solucionou a questão com uma sacada criativa: concluiu que o rapaz, na verdade, não é negro, pois “ser negro não é uma condição dada, a priori. É um vir a ser”. Pronto, um problema a menos, Fernando Holiday é branco!

A esquerda não consegue entender a existência de Holiday porque acredita ter o monopólio da defesa dos negros, pobres e “oprimidos” em geral. Se um negro luta contra a esquerda, então há algo de errado com ele. Ou não seria realmente negro ou teria algum problema psicológico, uma anomalia que o faria agir contra a própria identidade.  Oras, se a esquerda está do lado do povo, por que o povo estaria contra a esquerda?

Militantes mais embrutecidos acreditam também que para beneficiar os pobres é preciso prejudicar os ricos (com impostos sobre fortunas, por exemplo). Por isso um negro e pobre jamais se alinharia a partidos dos ricos. Mas Fernando Holiday, um liberal, é contra a ideia do conflito irreconciliável entre as classes. Acredita que a prosperidade beneficia tanto pobres quanto ricos, e que ideias econômicas de esquerda prejudicam todos, incluindo gays e negros.

Há ainda um terceiro motivo. Assim como a direita mais tacanha, a esquerda menos sofisticada gosta de achar que seus adversários se resumem a estereótipos ridículos ou políticos radicais. A direita seria apenas a senhora racista da praia do Rio de Janeiro, o empresário engomado que se incomoda com pobres no aeroporto, o deputado-pastor contrário ao casamento gay.

É mais confortável, para militantes da esquerda, ignorar a existência de adversários com mais nuances. O rosto de Fernando Holiday, um gay, negro, defensor de privatizações e antipetista radical, não poderia ser mais indigesto.

@lnarloch

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    PATETIZAÇÃO COLETIVA

    A causa mais provável, para a rejeição do senhor “FERIADO” começa com sua identidade, um tanto inglesa, HOLLYDAY ?
    Não tem apelo populista, não representa o típico caboclo clientelista e patetizado pela colonização esquerdopata.
    Sua imagem é por natureza um desafio dialético, que expõem que a reserva de mercado racial, é uma armação política, de quem se aproveita da condição, dos filhos da África! Em suma, uma vergonha!

    Curtir

  2. Comentado por:

    carlos

    A moda hoje não é ser esquerda ou direita…. é ser primeiro mundo, porque em pais de terceiro as duas correntes tornam-se populista.

    Curtir

  3. Comentado por:

    João

    Indigesto e nauseante.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Sofia

    A “centro esquerda” Veja, não entende o fato de que o sucesso Fernando Holiday com a Direita, se deve a seus MERITOS e não a sua opção sexual, cor, idade, cheiro, som, etc. Esse povo vermelho é de mentalidade simplista mesmo.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Eduardo Teixeira Küll

    Dias atrás, vi em Ribeirão Preto, onde moro, vários cartazes colados em postes da cidade (notando-se aí que isso desrespeita a Lei Cidade Limpa), conclamando os jovens “contra o golpe”, contra Temer e, claro, contra a PEC 241. Várias frases de efeito adornavam ainda tais cartazes, como forma de incentivar a revolta dos jovens e entre elas, estava que “ser jovem, é ser revolucionário. Faz parte do DNA da juventude”. Ou seja, quem não compartilha de seus ideais, de suas convicções é o quê? Um mutante da Marvel? Um aleijão da natureza? Pois é, é neste nível que se encontra esse pessoal radical que não compartilha de suas ideias. Sem contar que, colocando nos termos que eu questionei, qual seria o próximo passo? Uma “solução final” aos aleijões, no estilo nazista?

    Curtir

  6. Comentado por:

    Adriano

    Leandro, a esquerda que gosta de se locupletar com o dinheiro público, tá meio que perdida depois da cacetada destas eleições. Um rapaz negro, pobre e gay elegeu-se por méritos próprios, defendendo ideais que fazem todo o sentido e isso contraria a esquerda.

    Curtir

  7. Comentado por:

    Sylvio Mello

    A 1 semana da eleição eu nem sabia que esse Holiday existia. Fiquei sabendo dele por causa da campanha racista e homofóbica dos esquerdopatas do PSol querendo impugnar a candidatura dele. Pesquisei para saber do que se tratava e gostei do que li. Votei nele. Meu voto no Holiday foi devido ao furor imbecil das esquerdas contra ele, que me deu a oportunidade de fazer essa escolha. Obrigado esquerdistas imbecis!

    Curtir

  8. Comentado por:

    Rebeca

    Esse é o texto mais pobre que eu já li a respeito desse assunto. Porque a questão não um Negro de direita lutar contra o preconceito, a questão é que o Fernando Silva não luta contra o preconceito, pelo contrário. (mas eu não vou perder meu tempo aqui na VEJA, explicando o porque) E como se não bastasse foi a favor do golpe que o PRÓPRIO Temer confessou.

    Curtir

  9. Excelente e absolutamente honesto o seu artigo! Os esquerdopatas querem ter o monopólio da verdade! Jamais irão admitir o quanto atrasados e preconceituosos eles , na realidade, são. Votei no Fernando Holiday pela sua inteligência, combatividade e idéias originais! Ele é o futuro na política brasileira!

    Curtir