Bahia Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens baianos.

Apresentador da Record avalia ser candidato a prefeito de Salvador

José Eduardo comanda o programa 'Balanço Geral Bahia' local e ainda não é filiado a nenhum partido

Por Rodrigo Daniel Silva - Atualizado em 22 abr 2019, 07h25 - Publicado em 21 abr 2019, 19h03

O apresentador do programa Balanço Geral Bahia, José Eduardo, da Record Bahia, avalia ser candidato a prefeito de Salvador em 2020, quando acontecerá a sucessão de ACM Neto (DEM). Sem partido, o comunicador afirma que vai conversar com a emissora e a família antes de tomar a decisão.

Segundo ele, na eleição passada, também surgiram convites para ser postulante, mas preferiu não concorrer à gestão soteropolitana. “Hoje, eu já enxergo com bons olhos. Já vejo uma possibilidade interessante. Acho que Salvador precisa, principalmente, olhar para uma camada mais pobre do que já é olhada. Estou animado, mas pretendo ainda conversar com minha família e com a direção da TV”, declarou.

 

José Eduardo disse que recebeu convites do PSD e do PP. Presidente do PSD na Bahia, o senador Otto Alencar negou que abriu as portas da sigla para o apresentador. Na semana passada, no entanto, o comunicador foi convidado no ar para ingressar no PP, pelo deputado federal Cacá Leão, que é filho do vice-governador da Bahia e presidente da legenda no estado, João Leão. O parlamentar é pré-candidato a prefeito da capital baiana.

Publicidade

“Se Zé Eduardo quiser vir para o PP, será uma honra. Eu abro a mão (da candidatura) e o apoio agora. O convite está feito. Faço questão de abonar essa ficha”, declarou, em entrevista à rádio Itapoan. Zé Eduardo afirmou que quer conversar com o PRB, partido ligado à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), que controla a Rede Record.

Procurada pela reportagem, a emissora declarou desconhecer “qualquer coisa relacionada” à possível candidatura do apresentador. Sobre a gestão de ACM Neto, José Eduardo afirmou que é “boa”, mas disse que “o pobre da periferia continua abandonado”.

Publicidade