Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

‘Raposa Felpuda’, editorial do Estadão

Publicado no Estadão deste domingo Como velho político, Lula parece ter entendido o recado de que a população quer outra política. Mudou, então, a sua prática política? Não. Simplesmente mudou o discurso, mantendo a sua velha estratégia. Falar mal da política, mas continuar atuando como uma felpuda raposa política. Em recente vídeo para jovens, divulgado […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 03h26 - Publicado em 21 jul 2014, 09h12

Publicado no Estadão deste domingo

Como velho político, Lula parece ter entendido o recado de que a população quer outra política. Mudou, então, a sua prática política? Não. Simplesmente mudou o discurso, mantendo a sua velha estratégia. Falar mal da política, mas continuar atuando como uma felpuda raposa política.

Em recente vídeo para jovens, divulgado pelo seu instituto – que é um dos polos coordenadores da campanha da reeleição de Dilma —, o ex-presidente propôs uma reforma política feita por iniciativa popular que acabe com “partidos laranja” e “partidos de aluguel”. Ele deseja “um projeto de lei que possa mudar substancialmente a política brasileira, ter partidos mais sérios, acabar com os partidos laranjas, os partidos de aluguel, acabar com partidos que utilizam seu tempo para fazer negócio. Nem parece ser ele quem manda no Partido dos Trabalhadores (PT), partido que, nos últimos meses, promoveu uma das mais profícuas trocas entre cargos de confiança no governo federal por tempo de propaganda política na TV. A população está cansada é dessa hipocrisia: o maior promotor – e maior beneficiário – do sistema político atual pregando virtuosamente a sua reforma.

» Clique para continuar lendo

Continua após a publicidade
Publicidade