Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Abandono de búfalas de Brotas pode motivar criação de santuário

A quantidade de animais demanda uma estrutura que possa abrigá-los ao longo dos próximos anos

Por Jennifer Ann Thomas Atualizado em 24 dez 2021, 18h00 - Publicado em 1 dez 2021, 09h00

As mais de mil búfalas abandonadas em uma fazenda na cidade de Brotas, em São Paulo, sendo que muitas delas estavam prenhas, geraram comoção nacional desde a revelação do caso. Imagens das búfalas em agonia, com fome e com sede, ganharam força nas redes sociais e tiveram apoio de celebridades como Bela Gil, Xuxa, Maria Casadevall e Luana Piovani.

De acordo com as investigações, o fazendeiro Luiz Augusto Pinheiro de Souza, dono do local onde os animais foram encontrados, teria desistido da produção de queijo de búfala e passou um trator por cima do pasto para substituir a gramínea por soja. Sem água e sem alimento, as búfalas foram deixadas à própria sorte. 

Passado o momento de choque, ativistas defensores dos animais ganharam a tutela dos animais e o direito de garantir o bem-estar deles dentro da fazenda. Contudo, o problema é pesado: são mil búfalas, que logo se multiplicarão com o nascimento dos bezerros, sem um local definido para viverem e que demandam 11 mil litros de água e 10 toneladas de alimento, como feno e farelo de milho, diariamente.

Para o presidente da Comissão Nacional de Proteção e Defesa dos Animais da OAB, Reynaldo Velloso, uma das questões ainda em aberto é sobre onde as búfalas poderão viver e como os custos serão pagos, pois essa demanda poderá durar em torno de uma década. Além da manutenção do espaço e gastos com alimentação, também será necessário investir em mão de obra veterinária. Uma solução para o impasse é a criação de um santuário para as búfalas.

A figura jurídica de um santuário não existe ainda, o que não impede de ter um habitat bom onde as búfalas possam viver. A tendência de evolução dos direitos dos animais é, em breve, criar isso”, disse Velloso.

No domingo, dia 28, ativistas fizeram um protesto em frente à sede da Bolsa de Valores de São Paulo (B3). Em uma publicação no Instagram, o perfil dedicado às búfalas de Brotas escreveu que os ativistas “também explicaram sobre a necessidade e importância de um Santuário para as Búfalas grávidas e abandonadas em Brotas”.

A publicitária e ativista Larissa Maluf é uma das voluntárias que vem se dedicando aos cuidados das búfalas. “Estamos tentando recuperar os animais”, disse ela. “Temos o apoio da prefeitura, da população de Brotas, da polícia, e a gente imagina que essa situação deve durar um tempo. Os animais precisam se recuperar fisicamente. Espero que a gente consiga dar uma vida digna a elas e que não sejam mais exploradas como eram”.

Continua após a publicidade

Publicidade