Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Ronaldo Jacaré conta como venceu a luta contra a síndrome de burnout

Recuperado de um período de esgotamento físico e mental, lutador brasileiro se prepara para subir de categoria e fazer o evento principal do UFC São Paulo

Por Luiz Felipe Castro, Da Redação - Atualizado em 3 out 2019, 12h00 - Publicado em 3 out 2019, 11h59

O lutador capixaba Ronaldo Jacaré, de 39 anos, inicia um período de retomada em sua carreira no UFC. Derrotado em abril pelo norueguês Jack Hermansson, ele passou por um momento de forte turbulência emocional até ser diagnosticado com síndrome de burnout, um distúrbio ligado à frustração profissional, cujos sintomas são estresse e esgotamento físico. “Não foi uma depressão. Fiquei muito estressado, dormia depois das 4h da manhã, não tinha nenhuma vontade de ir para a academia, chorava no carro. Eu já me sentia aposentado”, contou Jacaré, em entrevista ao Estúdio VEJA.

 

Aconselhado pela esposa, com quem vive nos Estados Unidos, o atleta procurou ajuda profissional e conseguiu superar a adversidade. Agora, ele se prepara para fazer a luta principal do UFC São Paulo, marcado para 16 de novembro, no Ginásio do Ibirapuera, diante do polonês Jan Blachowicz. O duelo marcará a estreia de Jacaré, que obteve ótimos resultados no peso-médio (até 84 kg) na categoria dos meio-pesados (até 93 kg). O brasileiro tem 26 vitórias e 7 derrotas no cartel do MMA.

Publicidade