Clique e assine a partir de 9,90/mês

Estúdio Veja: Mesmo com pena de Lula reduzida, PT sai enfraquecido

O colunista de VEJA, Sérgio Praça, e o repórter Guilherme Venaglia comentam os principais acontecimentos na política desta semana

Por Da Redação - Atualizado em 24 abr 2019, 19h41 - Publicado em 24 abr 2019, 18h51

A sentença do Superior Tribunal de Justiça (STJ) sobre o ex-presidente Lula, reduzida de doze anos e seis meses para oito anos, dez meses e vinte dias, não foi o bastante para agradar representantes do Partido dos Trabalhadores (PT). Apesar da redução, a notícia foi tida como uma confirmação dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Ainda hoje, o juiz federal Luiz Antonio Bonat, novo titular responsável pela Operação Lava Jato no Paraná, intimou a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e de outros seis condenados no processo do sítio atribuído ao petista em Atibaia (SP) a se manifestarem sobre as alegações do Ministério Público Federal (MPF) em até oito dias.

 

O envio do processo de Lula para o TRF4 tem impacto relevante sobre a situação jurídica do ex-presidente. Com a decisão do STF, ele pode passar para o regime semiaberto entre os meses de setembro e outubro, quando completa o cumprimento de um sexto da pena. No entanto, se, até lá, o TRF4 julgar e condenar Lula no processo do sítio e o Supremo Tribunal Federal (STF) não alterar o entendimento que permite a prisão após condenação em segunda instância, pode ser expedido um novo mandato de prisão e o ex-presidente seria obrigado a permanecer em regime fechado.

Continua após a publicidade
Publicidade