Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘A favor da natureza’: O lado dos brigadistas

Quatro brigadistas voluntários foram presos em Alter do Chão, no Pará, em novembro. Em São Paulo, dois dos investigados concederam entrevista a VEJA

Por Da Redação - 12 dez 2019, 19h28

O dia de 26 de novembro, uma terça-feira, começou com uma notícia estrondosa: quatro brigadistas de incêndio voluntários, que atuaram justamente para conter o fogo em Alter do Chão, no Pará, haviam sido presos. Pior: acusados de causar o dano ambiental e de venderem fotos e vídeos dos desastres para lucrarem com a tragédia, como teria sido com uma doação da ONG ambientalista WWF-Brasil, que repassou cerca de 70 mil reais à Brigada de Alter.

Após três dias e duas noite, o quarteto foi solto com medidas cautelares e continua a ser investigado pela Polícia Civil do Pará.

Os quatro voluntários são Daniel Gutierrez Govino, João Victor Pereira Romano, Gustavo de Almeida Fernandes e Marcelo Aron Cwerner.

Publicidade