Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Smart TVs de quatro marcas vão compartilhar aplicativos

Objetivo de LG, Panasonic, Philips, Toshiba e outras 14 empresas é estimular desenvolvedores a criar programas para TVs

A Smart TV Alliance – associação sem fins lucrativos criada pela LG, Panasonic, Philips, Toshiba e outras 14 empresas de hardware e software do setor – anunciou nesta quinta-feira mais um passo para unificar a base do sistema adotado em TVs conectadas. Em maio de 2014, um novo portal permitirá que os desenvolvedores submetam seus aplicativos apenas uma vez, mas consigam oferecê-los nas lojas virtuais de TVs de diferentes marcas.

Leia também:

As melhores imagens da CES 2014

LG coloca em TVs conectadas sistema que foi da HP e da Palm

Atualmente, desenvolvedores interessados em criar aplicativos para Smart TVs precisam criar uma versão para cada marca, já que os modelos utilizam sistemas operacionais distintos não compatíveis com os dos concorrentes. Com a possibilidade de desenvolver o aplicativo uma única vez, os desenvolvedores terão menos trabalho e poderão distribuir mais aplicativos para TVs.

A Smart TV Alliance anunciou o novo portal durante a Consumer Electronics Show (CES), uma das maiores feiras de tecnologia do mundo, realizada até sexta-feira em Las Vegas, nos Estados Unidos. O portal permitirá que os desenvolvedores assinem um contrato único para oferecer aplicativos. Além disso, eles terão acesso a um programa de suporte, que tem o objetivo de capacitar os desenvolvedores para criar aplicativos que tirem vantagem da base única que será adotada pelas fabricantes em suas TVs conectadas.

“Isso encoraja o ecossistema vibrante das Smart TVs e remove as barreiras para o desenvolvimento de aplicativos ao mesmo tempo em que melhora a experiência para os consumidores”, disse Seijiro Yasuki, presidente da Smart TV Alliance e diretor executivo de tecnologia para produtos digitais e serviços da Toshiba, em comunicado.

Por meio da Smart TV Alliance, fabricantes de TVs trabalham, desde junho de 2012, para estabelecer uma mesma base de código para o sistema operacional embarcado nas TVs conectadas. Embora as TVs cheguem com um sistema de base única no mercado no futuro, cada uma delas poderá manter uma interface diferente para os usuários, com recursos exclusivos, como já acontece atualmente.