Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Site do ‘The New York Times’ sofre ataque hacker

Grupo simpático ao ditador sírio Bahar al-Assad reivindica autoria das ações

O site do The New York Times sofreu um ataque hacker na tarde desta terça-feira. Segundo comunicado da companhia, publicado em um endereço alternativo, os colaboradores do jornal também foram impedidos de enviar e receber e-mails. De acordo com Marc Frons, diretor de TI do grupo The New York Times, o site foi vítima de um grupo hacker simpático ao ditador sírio Bashar Assad.

O grupo que se autodenomina Exército Eletrônico da Síria assumiu o ataque. Eles dizem ter invadido e alterado dados pertencentes a domínios registrados pelo NYT. Sem as informações corretas, os sites apresentam problemas na exibição de páginas e imagens, impedindo ou limitando o acesso de usuários.

Matt Johansen, executivo da empresa de segurança White Hat, afirmou em uma mensagem no Twitter que foi direcionado a um domínio sírio na internet ao tentar acessar o site da publicação.

Rede social – Em comunicado oficial, o Twitter também afirmou ter sido atacado por hackers nesta terça-feira: “De acordo com nosso provedor, informações sobre o DNS de diversas organizações foram modificadas, incluindo um dos domínios do Twitter utilizado para exibição de imagens, o twimg.com.” Embora a companhia de São Francisco não confirme se tratar de um ataque virtual da Síria, a autoria foi reivindicada pelo mesmo grupo hacker que atacou o site do jornal.

Esta não é a primeira vez que um veículo de imprensa é alvo do Exército Eletrônico da Síria. O The Financial Times, o The Washington Post e a rede CNN também foram vítimas do grupo.

Segurança – Nesta terça-feira, Janet Napolitano, secretária de segurança interna dos Estados Unidos, fez um alerta a seu sucessor, cujo nome ainda não foi divulgado publicamente, sobre possíveis ciberataques, que comprometeriam as vidas e a economia do país. Em uma carta aberta, Janet afirmou que o próximo a ocupar seu cargo terá de enfrentar ameaças terroristas virtuais.

Em seu comunicado, a secretária do governo Obama diz que o país tem que agir rapidamente para identificar ataques hackers e possíveis invasores digitais. Janet defende ações mais flexíveis e reativas, que permitem ao país respostas integradas e eficazes ao terrorismo, como as testemunhadas em abril, durante o atentado de Boston.