Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Novo game da Fórmula 1 agradará novatos

Em entrevista ao site de VEJA, produtor do jogo afirma que F1-2012 será mais acessível para quem tem pouca familiaridade com games de corrida

Por Renata Honorato 16 ago 2012, 13h51

A Formula 1 é a modalidade automobilística mais popular no Brasil e por isso o lançamento de um novo game baseado no esporte é sempre aguardado com muita expectativa. O próximo título a desembarcar no país é o F1-2012, desenvolvido pela britânica Codemasters e distribuído no país pela Warner Bros Interactive. O game chega às lojas brasileiras no dia 26 de setembro e traz na capa Lewis Hamilton, da Mclaren, e o brasileiro Bruno Senna, da Williams. A versão local também trará como conteúdo extra o documentário Senna, que conta a trajetória de Ayrton Senna, um dos maiores ícones do automobilismo no Brasil. Segundo Akuila Iliesa, produtor do game, esta edição foi desenvolvida de modo a agradar os novos jogadores. Entre os destaques, diz o especialista em entrevista ao site de VEJA, estão tutoriais em vídeo e novas pistas, como o Circuito das Américas, em Austin, no Texas. Confira a seguir o que o executivo britânico conta sobre os bastidores de F1-2012:

Quando você começou a trabalhar na franquia Fórmula 1? Comecei a trabalhar na divisão da F1, dentro da Codemasters, em 2009.

E o que você fez nas outras edições do jogo? Eu sou game designer. Melhor. Sou designer técnico. O game designer adiciona novos recursos e os técnicos fazem com que eles funcionem de forma harmônica; eles analisam quais outras características podem ser incluídas em um jogo.

E neste último projeto? Qual função desempenhou? Trabalhei com os programadores desenhando ferramentas e ajudando a equipe a criar novos recursos. Minha função foi tornar o game tecnicamente e visualmente atrativo. Ajudei no desenvolvimento da jogabilidade, na criação de pistas, na inserção de diferentes câmeras e também na inteligência artificial por trás do título.

Como foi desenvolvido o trabalho de mapeamento das pistas presentes no F1-2012, como é o caso do novo circuito de Austin, no Texas? Temos uma equipe responsável por tirar fotos dos locais. Em seguida, essas pistas são reproduzidas através de desenhos. Basicamente, criamos circuitos de acordo com as imagens registradas durante esses trabalhos em campo. Ao longo do desenvolvimento do jogo, tiramos muitas fotografias. Milhares delas!

Quanto tempo a equipe da Codemasters gastou no desenvolvimento de F1-2012? Gastamos, aproximadamente, 12 meses. Começamos a trabalhar nesse jogo assim que o F1-2011 foi lançado. No meu escritório, nossa equipe era formada de 16 ou 17 pessoas, entre game designers, artistas e programadores. Temos também um estúdio na Malásia, onde trabalham alguns colaboradores da equipe de arte, responsáveis pelo design dos prédios, pistas e alguns outros recursos. Um grupo de pessoas do escritório em Southam, na Grã-Bretanha, também colaborou. Levando em conta a turma de Birmingham, cerca de 150 pessoas trabalharam no F1-2012.

Onde é a sede da Codemasters? A sede fica em Birmingham (segunda maior cidade da Grã-Bretanha, atrás apenas de Londres). É lá que está a maior parte dos nossos game designers.

Continua após a publicidade

O que os jogadores encontrarão de diferente neste novo jogo? O grande carro-chefe deste novo título é a acessibilidade. Será fácil para os jogadores interagirem com o game e a experiência será muito melhor. A ideia é chamar a atenção de diferentes públicos, principalmente das gerações mais novas, que gostam tanto de F1 quanto seus pais. Também disponibilizamos um tutorial em vídeo. Nas versões de 2010 e 2011, o usuário começava a jogar e tinha de aprender sozinho tudo sobre o game. O objetivo desse guia, portanto, é mostrar às pessoas como controlar os carros e também como utilizar os novos recursos do título. Esse guia em vídeo explora os veículos, os modos de jogo, e em 15 minutos todo mundo está apto para encarar os desafios propostos pelo título. Outro destaque é o Teste de Jovens Pilotos, onde os jogadores são apresentados ao universo da F1. Através deste recurso, eles assumem carros da Red Bull, Ferrari ou McLaren, e descobrem como tirar o melhor desses veículos.

Por que a Codemasters decidiu incluir na versão brasileira do jogo o documentário Senna? É muito importante para a companhia incluir conteúdos extras em todos os países onde oferece um título.

Não sei se você tem a mesma percepção, mas durante a E3 os executivos da Sony me falaram que os jogos de corrida fazem muito sucesso no Brasil. Você concorda com essa teoria? No caso dos jogos de corrida, especialmente os de F1, esse é o maior mercado para as desenvolvedoras.

Então o Brasil é realmente importante para a Codemasters? O Brasil já superou os Estados Unidos. Em termos de mercado, o país é líder nas Américas. As novas pistas americanas, a de Austin e a de New Jersey, devem incentivar jovens pilotos a apostar na modalidade e fazer com que o público tenha um ídolo para seguir nos EUA. Isso pode, no futuro, ajudar na popularização da F1 por lá.

E por que a Codemasters decidiu desenvolver um jogo casual, como o F1 Race Stars? Temos muitas licenças e decidimos criar um jogo que permitisse às crianças e pais jogarem juntos. Queríamos estar mais envolvidos com o ambiente familiar.

Tendo em vista esse apelo infantil, vocês têm planos de lançar o jogo para Wii U, o novo console da Nintendo? Essa versão já está nos nossos planos. A edição para PlayStation 3, Xbox 360 e PC será lançadas em novembro deste ano, mas já estamos pensando em levar o game para a nova plataforma da Nintendo.

Assista ao trailer do jogo F1-2012 a seguir:

https://youtube.com/watch?v=kmV2lxDW4w4%3Frel%3D0

Continua após a publicidade
Publicidade