Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Lenovo e CCE passam a compartilhar sede em 2014

Mudança ocorre pouco mais de um ano após companhia chinesa adquirir a fabricante brasileira

Por Claudia Tozetto 23 dez 2013, 11h34

As fabricantes de eletrônicos Lenovo e CCE começarão 2014 de casa nova. Os cerca de 250 funcionários do prédio da CCE, no bairro do Limão, em São Paulo, e outras 250 pessoas que trabalham na sede da Lenovo, na Vila Olímpia, também na capital paulista, passarão a trabalhar em um mesmo espaço a partir de 6 de janeiro.

Leia também:

Ashton Kutcher vira designer de produtos da Lenovo

Computadores irão conversar e aconselhar usuários até 2018

O endereço escolhido é o Eldorado Business Tower, prédio de escritórios com 36 andares ao lado do Shopping Eldorado, no bairro de Pinheiros. No local já funcionam outras grandes empresas, como a construtora Odebrecht e a rede social profissional LinkedIn. Na torre, os funcionários que trabalham para CCE, Lenovo ou tem funções que atendem ambas as empresas ficarão distribuídos em três andares.

A fusão ocorre pouco mais de um ano após a aquisição da CCE pela Lenovo, em setembro de 2012. “Foi necessário encontrar o local ideal, mais ou menos no meio do caminho, antes de mover os funcionários”, diz Humberto De Biasi, diretor executivo da marketing da Lenovo no Brasil, em entrevista ao site de VEJA. No caso da CCE, a mudança era ainda mais crítica, já que a empresa manteve a sede no mesmo lugar desde sua fundação, em 1964. A nova sede da Lenovo, em Pinheiros, fica localizada a 8 quilômetros do prédio da CCE no Limão e a 3 quilômetros do antigo escritório na Vila Olímpia.

A mudança consolida o processo de integração entre a empresa chinesa e a fabricante brasileira. Em 2012, a Lenovo construiu sua primeira fábrica no país, na cidade de Itu, interior de São Paulo. Em setembro do mesmo ano, a empresa anunciou a compra da Digibrás, então proprietária da marca CCE. O valor da aquisição foi de 300 milhões de reais, mas o valor total pode chegar a 700 milhões de reais até 2016, se a CCE atender metas de desempenho impostas pela Lenovo em contrato.

A integração entre as duas empresas rendeu bons frutos em 2013. Ao longo dos seis primeiros meses do ano, a Lenovo investiu 100 milhões de reais para modernizar as instalações das sete fábricas da CCE em Manaus e em São Paulo. Isso permitiu que, em junho, a empresa anunciasse uma nova linha de smartphones e tablets com a marca CCE e preço abaixo de 1.000 reais.

No mesmo período, a Lenovo superou a HP como a maior fabricante de computadores do mundo. A companhia também assumiu a liderança em vendas de computadores no Brasil, desbancando a brasileira Positivo Informática. A meta foi alcançada com dois anos de antecedência em relação ao prazo estabelecido pela empresa ao chegar ao Brasil.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)