Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Justiça volta a negar liberdade a fundador do Megaupload

Tribunal da Nova Zelândia teme fuga de Kim Schmitz em caso de condicional

Por Da Redação 3 fev 2012, 03h50

O Alto Tribunal da cidade neozelandesa de Auckland negou novamente nesta sexta-feira a liberdade condicional ao fundador do site de downloads Megaupload, Kim Schmitz, mais conhecido pelo apelido Kim Dotcom, preso a pedido dos Estados Unidos em 20 de janeiro, sob acusação de liderar um esquema de pirataria virtual.

Risco de fuga – Segundo a televisão neozelandesa, Schmitz compareceu nesta sexta-feira ao Alto Tribunal da cidade de Auckland para apelar contra a decisão de um juiz do tribunal do distrito de North Shore, que negou na semana passada seu pedido de liberdade condicional por considerar que existia um grande risco de fuga. O alemão, de 38 anos, deverá permanecer preso até 22 de fevereiro, data prevista para a audiência sobre sua extradição.

Longo processo – Especialistas ouvidos pelo jornal inglês The Telegraph e pela agência de notícias Reuters afirmam que o processo de extradição pode se arrastar por um longo período. O caso de Julian Assange, fundador do Wikileaks, que tenta evitar ser extraditado da Inglaterra para a Suécia, está na Corte desde o fim de 2010.

(Com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade