Clique e assine a partir de 8,90/mês

Imagens subaquáticas de Noronha chegam ao Google Street View

Por Raquel Beer - Atualizado em 24 Maio 2016, 16h10 - Publicado em 17 mar 2015, 18h57

Nesta terça-feira (17), o Google Street View começou a divulgar as imagens que mostram a vida marinha de Fernando de Noronha, Patrimônio da Humanidade pela Unesco e destino turístico do sonho de muitos brasileiros. Como antecipou VEJA, a equipe do Google planejou o projeto por um ano até desembarcar na ilha pernambucana em novembro do ano passado. Por uma semana, as câmeras 360 graus registraram treze pontos de mergulho, além das ruas e trilhas de Noronha.

[googlemaps https://www.google.com/maps/embed?pb=!1m0!3m2!1spt-BR!2sus!4v1426620139425!6m8!1m7!1sCMy9Zylkg3QAAAQY_-2qjw!2m2!1d-3.825682!2d-32.396546!3f310.50998!4f8.323329999999999!5f0.7820865974627469&w=100%&h=480%5D

A ideia do Google é dar um gostinho do que é Noronha aos brasileiros e estrangeiros que sonham em conhecer a ilha, mas são desmotivados pelo alto preço das passagens e pousadas. As imagens subaquáticas servirão também como um registro da fauna e flora marinhas da ilha, que pode ser usado como base para estudos científicos no futuro. Até agora, o único registro com que pesquisadores podiam contar eram fotos de mergulhos turísticos. “Nossas gravações servirão como alicerce não só para ver Noronha hoje, mas também para acompanhar como as ilhas estarão em dez, vinte, trinta anos”, disse o engenheiro gaúcho Tomas Nora, responsável pelas operações do Google Maps na América Latina.

[googlemaps https://www.google.com/maps/embed?pb=!1m0!3m2!1spt-BR!2s!4v1426632735458!6m8!1m7!1sxjvFzLzJ6tMAAAQY__O9TQ!2m2!1d-3.868579!2d-32.411819!3f196.83!4f17.819999999999993!5f0.4000000000000002&w=100%&h=480%5D

Levar Fernando de Noronha para o Google Street View só foi possível graças a uma parceria que a gigante de tecnologia firmou com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) em 2013, para fazer o mapeamento de todos os Parques Nacionais brasileiros. O próximo destino virtual a ser mapeado pelo projeto é a Amazônia.

Continua após a publicidade
Publicidade