Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Google vende Motorola para Lenovo por US$ 3 bilhões

Patentes adquiridas em 2012 continuam nas mãos do buscador, diz Larry Page

O Google anunciou na noite desta quarta-feira a venda da divisão Motorola Mobility para a chinesa Lenovo. Segundo as companhias, o valor do acordo foi de 3 bilhões de dólares, que serão pagos em dinheiro e ações.

Leia também:

Guerra de patentes, motor da compra da Motorola pelo Google

A notícia surpreendeu o mercado. A Motorola foi comprada pelo Google em maio de 2012 por 12,5 bilhões de dólares. Na época, a aquisição ganhou muito destaque, já que a intenção da companhia americana era levar para dentro de casa todas as patentes da fabricante. Ao adquirir a empresa, o Google tornou o Android, seu sistema operacional móvel, menos vulnerável a processos legais envolvendo propriedade intelectual.

Segundo a Lenovo, a aquisição é um passo importante da empresa em direção ao setor móvel. “A Lenovo ganhará espaço em mercados como a América do Norte e a América Latina, além de uma significativa presença na Europa Ocidental”, diz a empresa no comunicado oficial. O Google continuará dono das patentes adquiridas na compra da fabricante. Em razão da negociação, a Lenovo terá uma licença para usar essas propriedades intelectuais em seus futuros produtos.

De acordo com Larry Page, CEO do Google, o mercado de smartphones é muito competitivo e exige expertise na área de hardware. “É por isso que acreditamos que a Motorola estará muito melhor nas mãos da Lenovo, uma empresa que tem ganhado relevância no setor móvel”, afirma o executivo no blog oficial do buscador. “Esse movimento permitirá que o Google invista sua energia em criar inovações para o ecossistema Android, o que vai beneficiar os usuários de smartphones de todo o mundo”, completou Page.

As linhas Moto X e Moto G passarão a ser geridas pela Lenovo. “A compra de uma marca icônica, com um portfólio de produtos inovadores, além de um time de talentos globais, fará da Lenovo um concorrente de peso no mercado de smartphones em todo o mundo. Esta será a nossa oportunidade de nos tornar relevantes nessa indústria que cresce a todo vapor”, explicou Yang Yuanqing, presidente e CEO da companhia chinesa.

O acordo ainda aguarda aprovação dos órgãos reguladores dos Estados Unidos e da China. Até a oficialização da venda, a operação da Motorola não sofrerá grandes mudanças, esclareceu Larry Page no blog do Google.