Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Facebook promete corrigir falha em dados privados

Rede promete garantir segurança de informações contidas nos 'user IDs'

Defensores da privacidade e especialistas em tecnologia estão divididos sobre a importância da questão. O Facebook tem crescido tão depressa, tanto em usuários quanto em termos de complexidade técnica, que é cada vez mais difícil controlar tudo o que acontece na maior rede social do mundo

Quando você se cadastra no Facebook, entra numa barganha. Você compartilha informações pessoais com o site e o Facebook se compromete a obedecer sua vontade quando se trata de quem pode ver aquilo que você postou. Ao mesmo tempo, concorda que o Facebook pode usar seus dados para decidir que anúncios você verá. É um acordo complicado, no qual muitas pessoas entram sem entender totalmente o que vai acontecer com suas informações. Envolve também um pouco de confiança – é por isso que qualquer suspeita de que o Facebook não esteja cumprindo sua parte do acordo é garantia de controvérsia.

O mais recente desafio sobre a questão da confiança ocorreu na segunda-feira, quando o Facebook reconheceu que alguns aplicativos de seu site (incluindo o popular jogo FarmVille) tinham trocado indevidamente informações sobre usuários e, em alguns casos, de seus amigos, com anunciantes e empresas de rastreamento da web. A empresa disse que estava conversando com os desenvolvedores de aplicativos sobre a forma de lidar com informações pessoais – e procurava formas de impedir que isso aconteça novamente. Foi a resposta da rede a uma reportagem do jornal The Wall Street Journal que afirmava que vários aplicativos populares estavam passando uma parte dos dados dos usuários – conhecida como “user ID” – para terceiros, em violação à política de privacidade do Facebook.

Ter um “user ID” permite que alguém procure o nome do usuário e qualquer informação postada no perfil público de uma pessoa, como a faculdade que cursou ou seus filmes favoritos, mas não as informações definidas como visíveis apenas para os amigos. Defensores da privacidade e especialistas em tecnologia estão divididos sobre a importância da questão. “Isso é extremamente grave”, disse Peter Eckersley, da Electronic Frontier Foundation. Eckersley disse que os anunciantes podem usar o “user ID” para vincular indivíduos com informação recolhida anonimamente sobre eles na internet. “O Facebook, talvez inadvertidamente, está vazando a chave para rastear você on-line.”

Ao mesmo tempo, Eckersley disse que não havia evidência de qualquer um que teve acesso a esses dados tenha feito mau uso deles. A Zynga, fabricante do FarmVille e outros jogos no Facebook, com um total de 219 milhões de usuários, não quis comentar. Vários especialistas em tecnologia e blogueiros minimizaram o problema. Alguns disseram que empresas de cartão de crédito e revistas têm acesso a mais informações detalhadas sobre os clientes do que qualquer aplicativo do Facebook.

Novos sistemas – O Facebook também tentou minimizar a importância do vazamento, dizendo que o envio de “user IDs” parece ter sido acidental. “As reportagens têm exagerado nas implicações de dividir” um “user ID”, escreveu Mike Vernal, um engenheiro do Facebook, no blog da empresa para desenvolvedores de aplicativos. “Conhecer o ‘user ID’ não permite que todos possam acessar informações particulares de um usuário sem seu consentimento explícito.” Em um comunicado, o Facebook disse que planeja introduzir “novos sistemas técnicos que irão reduzir drasticamente a partilha de ‘user ID'”, e continuaria a impor sua política sobre aplicações externas, encerrando-as quando necessário.

A rede social acrescentou que as empresas que receberam os “user ID” disseram que não haviam feito uso deles. No entanto, o problema ressalta outro desafio para a empresa: o Facebook tem crescido tão depressa, tanto em usuários quanto em termos de complexidade técnica, que é cada vez mais difícil controlar tudo o que acontece no site. Além de mais de 500 milhões de usuários, há mais de 1 milhão de aplicativos rodando no site.