Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Em evento, Google anuncia investimentos no Brasil e celebra Gilberto Gil

Empresa também vai ampliar informações sobre eleições e lançou tecnologia de conversação sintética Duplex

Por Alessandro Giannini Atualizado em 14 jun 2022, 17h49 - Publicado em 14 jun 2022, 17h42

Na quarta edição do Google for Brasil, megaevento de balanço anual da empresa, executivos anunciaram investimentos e projetos no país, além de celebrar antecipadamente os 80 anos de Gilberto Gil – o cantor baiano faz aniversário no dia 26. Entre os principais pontos destacados na apresentação do CEO local, Fábio Coelho, estão a abertura de um novo escritório em São Paulo no ano que vem e a inauguração de um novo Centro de Engenharia em parceria com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), na USP. “Não podemos deixar de mencionar o que está acontecendo na Amazônia”, disse Coelho, em seu discurso de abertura do evento, citando o desparaecimento do jornalista britânico Dom Philips e do indigenista Bruno Pereira.

O CEO do Google Brasil também anunciou que a empresa vai investir R$ 150 milhões em projetos para ampliar o acesso a informações oficiais sobre vacinas, apoiar comunidades afetadas pela pandemia e combater a fome. “São 33 milhões de pessoas passando fome e 125 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar”, disse ele, na abertura do evento. “É preciso fazer algo para ajudar a erradicar a fome no país.”

Recentemente, o CEO do Google, Sundar Pichai, anunciou que vai investir 1,2 bilhão de dólares na América Latina. Nesse valor está incluído o novo cabo submarino Firmina, que ligará os principais centros brasileiros aos Estados Unidos, melhorando a comunicação entre os dois países e os serviços da empresa no Brasil. E o novo escritório, que ficará na avenida Juscelino Kubitschek, no bairro do Itaim, Zona Oeste de São Paulo, e abrigará a equipe do Google Cloud no Brasil.

O novo Centro de Engenharia é fruto de uma parceria com o IPT, a partir do IPT Open Experience, que já conta com participação de outras 14 empresas. O Google ocupará o histórico prédio central do instituto, com 7 mil metros quadrados e capacidade para abrigar até 400 pessoas, que será recondicionado, mantendo suas características arquitetônicas. O escritório abrigará operações relacionadas a privacidade e segurança online. “Como exporta soluções para outros países, o Brasil tem reconhecimento internacional”, disse Segundo o peruano Eduardo Tejada, diretor de engenharia da empresa, em uma apresentação após o evento. A previsão é que o edifício fique pronto em 2024.

O Google Brasil também parece empenhado em atuar fortemente nas eleições deste ano. Por isso, anunciou o lançamento de um relatório e de um site com as principais tenências de busca relacionadas ao tema, além de apoiar organizações que atuam na promoção da diversidade na política. Seis ONGs receberam 1,5 milhão de reais da empresa: #VoteLGBT, Instituto Update, Instituto Alziras, Instituto Marielle Franco, Instituto Vita Alere e Safernet. Além disso, o Relatório de Transparência de Publicidade Política passará a incluir informações sobre anúncios feitos nas plataformas do Google que mencionem candidatos a cargos federais, partidos políticos e governantes eleitos – mesmo sem pedido de voto.

Continua após a publicidade

Duplex

Também foi anunciada a chegada ao Brasil do Duplex, tecnologia de inteligência artificial que usa a conversação natural pra obter informações. No país, o recurso já está sendo testado em várias situações: para atualização de informações de estabelecimentos comerciais, para automatizar tarefas, para a compra de ingressos de cinema e para a consulta dos locais de votação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O diferencial da nova tecnologia é a naturalidade da conversa, tanto na fala quanto na compreensão das respostas. “Parece um pouco ‘creepy’ (assustador) de início, mas depois a gente se acostuma”, brincou Coelho.

Gilberto Gil

Gilberto Gil
Gilberto Gil no evento do Google Brasil, em São Paulo – Google Brasil/Divulgação

Por fim, o evento teve a participação de Gilberto Gil, que completa 80 anos no dia 26. O acervo pessoal e artístico do cantor e compositor baiano foi digitalizado pelo Google e está exposto na mostra digital O Ritmo de Gil, dentro do Google Arts & Culture, com mais de 40 mil imagens e 900 gravações históricas. Disponível em inglês, português e espanhol, essa é a primeira retrospectiva de um artista brasileiro vivo na plataforma. No processo, foi redescoberto um álbum de 1982, gravado em Nova York, nunca lançado por Gil e que acabou perdido em sua volta ao Brasil. Agora, sua história chega ao público pela primeira vez.

Após cantar “Andar com Fé” no encerramento, ao lado de Larissa Luz e Sarah Roston, Gil falou à imprensa e contou que o disco com 12 músicas foi encontrado há dois anos no formato de uma fita cassete. “Foi um trabalho que eu fiz nos EUA, com a Warner, incluindo regravações e canções inéditas”, disse ele, em resposta à VEJA. “Mas não mudamos nada, ficou aquela pedra bruta mesmo. Senão não teria sentido.”

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)