Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

De NY a Pequim, o mundo se rende em homenagens a Jobs

Lojas da Apple em todo o mundo manterão luzes apagadas para lembrar morte de seu gênio criativo, que sucumbiu a um câncer que enfrentava desde 2004

Por Da Redação - 6 out 2011, 10h59

Steve Jobs revolucionou o mundo da tecnologia ao criar o iPod, o iPhone e o iPad – e conseguiu transformar desde a maneira como as pessoas ouvem música à forma como acessam a internet. E o impacto de sua morte, na noite desta quarta-feira, pode ser sentido ao redor do mundo nesta quinta, com homenagens em série ao gênio criativo por trás da Apple. De Nova York a Pequim, os fãs de Jobs prestam seus tributos ao cofundador da Apple – utilizando-se, inclusive, de velas virtuais, expostas nas telas de iPhones e iPads. A comoção atingiu não apenas pessoas comuns, mas também importantes chefes de estado, como o presidente americano Barack Obama, o francês Nicolas Sarkozy e o russo Dmitri Medvedev. Em homenagem a Jobs, as lojas oficiais da Apple em todo o planeta manterão as luzes apagadas durante todo o dia.

Na China, quase 35 milhões de mensagens no serviço de microblogs Sina Weibo, o principal do país, foram registradas nesta quinta-feira em memória de Steve Jobs. Além disso, as lojas da empresa tinham grandes filas de pessoas que pretendiam prestar homenagens. A Apple é muito popular no país asiático e, a cada lançamento da marca, os fãs da marca formam filas quilométricas.

Os chineses pareciam especialmente comovidos. “Vim aqui ver como eles vão operar no primeiro dia depois de perderem Steve Jobs”, afirmou Jin Yi, de 27 anos, na maior loja da Apple na China, em Xangai, que abriu no mês passado. “É uma pena o dia de hoje. Ele criou todos esses aparelhos que alteraram as percepções das pessoas sobre as máquinas. Mas não conseguiu testemunhar o último passo, pelo qual, por meio dos seus equipamentos, as vidas das pessoas poderão ser efetivamente unidas a essas máquinas.”

Em Hong Kong, Charanchee Chiu deixou um solitário girassol e uma rosa branca em frente a loja local da Apple. “Estou triste. Acho que ele deveria ter vivido mais”, afirmou Chiu, que disse ter enviado a Jobs mensagens aconselhando-o sobre saúde e a prática do tai-chi.

Publicidade

EUA – Na sede da empresa que Jobs fundou em 1976 – na Infinite Loop, 1, Cupertino, Califórnia -, bandeiras tremulavam a meio mastro, e muita gente se reuniu num gramado próximo após a morte de Jobs, na quarta-feira. Abalados, fãs da Apple deixavam flores, e um homem tocava gaita de fole. “Na minha cabeça, não existe diferença entre ele e Pasteur”, disse Chitra Abdolzadeh, que trabalha no setor da saúde em Cupertino, numa referência ao ilustre químico francês.

Na loja Apple do centro de San Francisco, as pessoas seguravam imagens de Jobs nas telas dos iPads, e grudavam cartões e bilhetes na vitrine, dizendo “Obrigado Steve” e “Odeio o câncer”. No lado de fora havia velas e maçãs vermelhas.

Cory Moll, funcionária da loja, disse que Jobs era uma inspiração para ela. “Temos sorte por tê-lo tido enquanto o tivemos”, afirmou Moll, segurando um iPad com uma citação em homenagem ao empresário. “O que ele fez para nós como cultura ecoa de forma ímpar em cada pessoa. Mesmo que elas nunca usem um produto da Apple, o impacto que eles tiveram é abrangente demais.”

Do outro lado do país, em Nova York, um memorial improvisado com folhetos exibindo imagens de Jobs foi montado em frente à loja 24 horas da Apple na Quinta Avenida.

Publicidade

Luzes – Embora sua filosofia seja “valorizar as tecnologias e não as pessoas”, a Apple decidiu prestar mais uma homenagem a Jobs nesta quinta. Além de diminuir a iluminação das mais de 300 lojas oficiais do mundo todo – nas quais também está projetada a imagem de Jobs nas telas de seus dispositivos -, a Apple incluiu uma imagem em preto e branco do fundador da empresa acompanhada das datas de seu nascimento e morte.

“A Apple perdeu um gênio criativo visionário e o mundo perdeu um ser humano maravilhoso. Nós, que tivemos a sorte de conhecer e trabalhar com Steve, perdemos um amigo querido e um mentor inspirador. Steve deixa uma companhia que só ele poderia ter construído e seu espírito será sempre o alicerce da Apple”, divulga a empresa em seu site. Também foi habilitado um endereço de e-mail “rememberingsteve@apple.com” para que os internautas enviem suas homenagens.

Os sites da Amazon e do Google também dedicaram espaço para homenagear o fundador da Apple, mostrando seu nome e as datas de seu nascimento e morte em sua página principal.

(com agências EFE, France-Presse e Reuters)

Publicidade