Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil é o 7º país do mundo que mais solicita dados de usuários ao Facebook

EUA lideram ranking divulgado pela companhia americana

Os Estados Unidos foram o país que mais solicitou informação ao Facebook sobre seus usuários durante o primeiro semestre de 2013. Segundo relatório de transparência da companhia divulgado nesta terça-feira, o governo brasileiro aparece em sétimo lugar em número de requisições.

Leia também:

Facebook, Google e Microsoft se encontram com políticos brasileiros para discutir espionagem

Entre 1º de janeiro e 30 de junho deste ano, 74 países pediram informação sobre 37.954 contas de usuários. Do total de requisições, 53,9% foram dos Estados Unidos. O Facebook respondeu às solicitações do governo americano em 79% dos casos, mas não deu mais detalhes do tipo de conteúdo e motivação para a entrega dos dados.

Depois dos EUA, aparecem na lista Índia, Reino Unido, Itália, Alemanha, França, Brasil, Espanha. Austrália e Chile.

O Brasil teve 715 solicitações feitas para 857 contas. Segundo a empresa, somente 33% dos pedidos foram atendidos. As informações solicitadas, esclareceu a rede social, são na maior parte das vezes relacionadas a investigações criminais, como casos de roubos ou desaparecimentos.

O Facebook explicou como são processados os pedidos: “Levamos em conta nossos termos, a legislação aplicável e ainda exigimos uma descrição detalhada de bases factuais e legais para cada requisição. Contestamos quando encontramos deficiências legais ou quando identificamos que são muito amplas ou vagas.”

Ao tornar público o relatório, o primeiro elaborado pela rede social com esse grau de detalhamento, a companhia explicou que o objetivo é mostrar aos usuários a natureza e alcance das solicitações, além do modo como lida com essas requisições.

O Facebook deu esse passo depois que Microsoft e Google tomaram atitudes semelhantes, no rastro da revelação de que as companhias do setor tecnológico colaboraram com as autoridades dos Estados Unidos, fornecendo informação sobre seus usuários.

No comunicado, o Facebook diz estar cobrando do governo americano mais transparência em relação a essas solicitações, incluindo dados sobre as requisições relacionadas à segurança nacional.

(Com agência EFE)