Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aprovado domínio para pornografia na internet

A criação de domínios na internet dedicados à pornografia recebeu respaldo oficial na sexta-feira. A junta diretiva do Icann, a corporação que define nomes de endereços na web, aprovou em princípio o domínio .xxx durante conferência em Bruxelas, na Bélgica. A aprovação dá início a um rápido processo para a criação do domínio exclusivo para sites pornográficos.

A companhia ICM Registry, que apoiou a criação do .xxx, disse que a decisão poderá ajudar a filtrar conteúdo inadequado na rede. A decisão põe fim a uma longa campanha da ICM Registry para conseguir a aprovação do domínio. O diretor da empresa, Stuart Lawley, expressou satisfação com a medida, que qualificou de “boa notícia para aqueles que querem consumir ou evitar o conteúdo para adultos”.

A Icann anunciou que o próximo passo será conversar com a ICM Registry para assegurar que a companhia ainda conta com apoio suficiente da indústria de entretenimento para adultos e, desta forma, justifique a criação.

A organização que supervisiona o sistema de endereços da rede exige que os novos domínios de alta demanda, como o .biz (para negócios), contem com “patrocínio” e sirvam às necessidades de uma comunidade definida. A ICM Registry afirmou esperar que os primeiros .xxx estejam disponíveis na internet no começo de 2011. Segundo a companhia, há mais de 110 mil reservas para o domínio.

Durante o debate que terminou com a aprovação, os membros da Icann admitiram ter cometido erros ao negar, em oportunidades anteriores, a aprovação. Alguns integrantes admitiram que se sentiram “pessoalmente incomodados” com a decisão de dar luz verde ao domínio, mas afirmaram que não puderam impedir a decisão porque a ICM respeitou todas as regras para a criação de um domínio de alta demanda.

A aprovação do foi decidida em 2005, mas depois foi retirada por causa de protestos de grupos conservadores. A Icann também expressou sua preocupação pelo fato que, de agora em diante, haverá pedidos para que vigie os conteúdos do domínio, uma tarefa para a qual não foi criada. Em fevereiro de 2010, um painel formado por vários juízes americanos concluiu que a corporação se equivocou ao não aprovar o domínio.

A Icann aceitou a decisão e começou um processo de consultas sobre a criação do padrão. No primeiro trimestre se anunciou um leilão do site sex.com, considerado o nome mais valioso da internet.