Clique e assine com até 92% de desconto

Apple tenta na Justiça suspender vendas de aparelhos da Samsung

Para empresa americana, dispositivos da concorrente sul-coreana violam patentes

Por Da Redação 27 dez 2013, 16h46

A Apple pediu a um juiz federal a proibição das vendas, nos Estados Unidos, de smartphones e tablets da Samsung em um processo envolvendo os dois gigantes dos eletrônicos. Em um tribunal da Califórnia, a Apple disse que um juiz considerou, no ano passado, que os aparelhos da concorrente violaram suas patentes.

Leia também:

iPhone 6 deve ser anunciado em maio de 2014

Em sua última ação, na quinta-feira, os advogados da Apple escreveram que o tribunal “concluiu anteriormente que as vendas da Samsung de produtos infratores prejudicaram a Apple de forma irreparável”. O documento acrescentou que a decisão da corte de apelação “deixou clara que as evidências anteriores demonstram coletivamente um “nexo causal” suficiente entre as infrações da Samsung e os danos irreparáveis à Apple. A companhia acrescentou que a indenização em dinheiro não é uma medida adequada o suficiente para a infração da Samsung dessas patentes.

A empresa americana busca uma proibição dos modelos de smartphones da Samsung Captivate, Continuum, Droid Charge, Epic 4G, Exhibit 4G, Fascinate, Galaxy Ace, Galaxy Prevail, Galaxy S, Galaxy S 4G, Gem, Indulge, Infuse, Mesmerize, Nexus S 4G, Replenish, Vibrant,Transform e três versões do Galaxy S II. As proibições também estão sendo sugeridas para os tablets Galaxy Tab e Tab 10.1.

O pedido não afeta os novos aparelhos da Samsung, que não são objeto do julgamento. A empresa sul-coreana, maior fabricante de smartphones do mundo, recebeu ordem que a obriga a pagar à Apple mais de 900 milhões de dólares depois de um novo julgamento sobre o caso.

A ação, uma das muitas que estão nos tribunais e agências administrativas ao redor do mundo, não impediu que as vendas da Samsung ultrapassassem as da Apple em muitos mercados de todo o mundo.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade