Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Apple rebate acusações de maus-tratos a operários na Foxconn

Tim Cook, sucessor de Steve Jobs, afirma que acompanha situação de funcionários nas unidades da companhia taiwanesa que fabrica seus produtos

Na noite da última quinta-feira, Tim Cook, CEO da Apple, rebateu as acusações de maus-tratos nas fábricas de fornecedores da companhia – divulgadas pela manhã no jornal The New York Times. De acordo com a publicação, durante 2011, vários acidentes aconteceram nas instalações da taiwanesa Foxconn, causando ferimentos graves e até a morte de trabalhadores responsáveis pela montagem de dispositivos como iPads e iPhones.

Em carta aberta aos funcionários da empresa, Cook respondeu ao artigo afirmando que a Apple se importa com todos os funcionários responsáveis por desenvolver e montar seus produtos. “Nós cuidamos de todas as pessoas que trabalham em nossa cadeia global de suprimentos. Acidentes e problemas relacionados às condições de trabalho nos deixam extremamente preocupados”, disse.

O executivo ainda afirmou que a companhia faz inspeções anuais nas fábricas com o objetivo de melhorar as condições de trabalho. “Com essas visitas, melhoramos as condições de milhares de trabalhadores. Sabemos que ninguém no setor se esforça tanto quanto nós nesse sentido”, afirmou.

A Foxconn, que também monta produtos para companhias como Microsoft, Sony e Nintendo, ganhou popularidade após uma série de suicídios em 2010, frutos de maus-tratos e condições precárias de trabalho. Em maio de 2011, uma das fábricas da empresa, localizada na cidade de Chengdu, no sudoeste da China, explodiu deixando dois mortos e 16 feridos, de acordo com autoridades locais.

Na semana passada, a empresa entrou em crise novamente com uma ameaça de suicído coletivo. Cerca de 300 funcionários subiram no telhado de uma das fábricas da empresa, em Wuhan, e ameaçaram se jogar de lá caso não tivessem seus pedidos atendidos pela direção da companhia.