Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Vacina contra cólera é útil após surgimento de epidemia

Medicação chega a proporcionar uma proteção de até 76% em países afetados

Por Da Redação
28 jan 2011, 10h10

Segundo pesquisadores americanos, as epidemias estão cada vez mais frequentes e severas no mundo. O vírus responsável pelo cólera, por exemplo, sofreu diversas mutações nos últimos anos. No Haiti, já há cerca de 4.000 mortos

Uma vacinação contra o cólera durante uma epidemia como a do Haiti pode limitar sua propagação e permitir combater melhor uma bactéria que, após várias mutações recentes, voltou mais virulenta. Um estudo conduzido no Vietnã durante uma importante epidemia de cólera em Hanoi mostra que a administração de uma ou duas doses de vacina oral proporciona 76% de proteção eficaz. A pesquisa, conduzida por Dang Duc Anh e Anna Lena López, do Instituto Internacional de Vacinas (IVI) em Seul, na Coreia do Sul, foi publicado no periódico Public Library of Science (PLoS).

Uma outra pesquisa, feita por Rita Reyburn, do IVI de Stonetown em Zanzibar (Tanzânia), estabeleceu um modelo dos efeitos de uma vacinação contra o cólera durante várias epidemias recentes no mundo. Sua equipe provou os efeitos de uma vacinação sobre 50 a 75% da população dez semanas após o início de uma epidemia, com uma segunda dose 33 semanas depois. Em todos os casos, os médicos constataram efeitos positivos.

Em um editorial que acompanha os dois estudos, Edward Ryan, do hospital geral de Massachusetts e da Universidade de Harvard, destacou “a importância” dos resultados obtidos frente à ineficácia dos esforços internacionais na luta contra o cólera, cujas últimas epidemias foram registradas no Haiti, Paquistão, Zimbábue, Nigéria, Angola e Vietnã.

Continua após a publicidade

Ryan também destaca que estas epidemias são cada vez mais frequentes e severas, e explica no editorial que a bactéria Vibrio cholerae, responsável pelo cólera, teve muitas mutações nos últimos anos. Essas novas características da bactéria fazem com que a comunidade médica e os responsáveis pela saúde pública revisem o possível papel de uma vacina para ajudar a controlar as epidemias.

A epidemia de cólera no Haiti deixou desde meados de outubro cerca de 4.000 mortos. A doença manifesta-se com diarreia intensa, vômitos e náuseas que provocam grave desidratação.

(Com agência France-Presse)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.