Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Uma dose de álcool pode melhorar a pronúncia de idiomas

O álcool pode reduzir a ansiedade, melhorando a performance do discurso, mostra novo estudo

Por Da Redação Atualizado em 20 out 2017, 18h29 - Publicado em 20 out 2017, 18h28

Um novo estudo publicado no periódico científico Journal of Psychopharmacology mostrou que, apesar dos impactos negativos que o álcool tem no cérebro e para a saúde em longo-prazo, depois de beber as pessoas melhoram a pronúncia de um idioma não-nativo, tornando-as de certa forma mais fluentes.

  • O estudo

    Para testar o efeito, pesquisadores da Universidade Maastricht, nos Países Baixos, acompanharam 50 alemães que haviam acabado de ingressar na instituição e que, pelo fato das aulas serem ministradas em holandês, haviam tirado certificados de proficiência no idioma. Além disso, todos os participantes disseram ter o costume de beber esporadicamente.

    Cada um passou por uma entrevista de dois minutos com um avaliador holandês, mas antes da conversa metade dos participantes tomou um drinque — em média, um copo de cerveja. Enquanto isso, a outra metade ingeriu apenas água.

    As conversas foram gravadas e avaliadas por duas pessoas que dominavam o idioma, que não sabiam quem havia consumido álcool ou não. Os participantes alemães também foram perguntados sobre suas próprias performances, o que eles achavam de sua pronúncia no momento e o quão confiantes eles se sentiram ao falar.

    Confiança líquida?

    Surpreendentemente, o álcool não teve muita influência na forma como as pessoas se avaliaram. Aqueles que consumiram a bebida não se sentiram mais confiantes ou satisfeita do que as outras, que beberam água.

    Continua após a publicidade

    No entanto, seus resultados foram, de fato, melhores. Em geral, os avaliadores consideraram o grupo que havia ingerido bebidas alcoólicas mais fluentes e, mais especificamente, com uma melhor pronúncia do idioma. Já em relação à argumentação, gramática e ao vocabulário os resultados foram similares.

    Embora o estudo não tenha avaliado os aspectos psicológico e emocional, é possível que o álcool reduza a ansiedade da fala, melhorando a performance do discurso. Mas é importante ressaltar que as doses utilizadas no estudo foram baixas e que o consumo em excesso pode não garantir o mesmo efeito. Pelo contrário, segundo os pesquisadores, beber demais pode conferir o exato oposto.

    Controvérsias

    Pelo fato de os voluntários saberem que estavam consumindo álcool, não há como saber se o discurso foi melhorado devido a fatores biológicos ou psicológicos. Estudos anteriores já mostraram que pessoas que acreditam estar bebendo, mas não estão, têm experiências semelhantes aos que haviam bebido.

  • “Pesquisas futuras devem incluir o possível efeito placebo do álcool para determinar o impacto relativo da expectativas versus o efeito farmacológico”, disseram os pesquisadores no relatório.

    Além disso, a hipótese deve ser testada em representantes de outras nacionalidades a fim de identificar se os recentes resultados são exclusivos de falantes da língua alemã ou de pessoas que aprendem a língua holandesa.

    Continua após a publicidade
    Publicidade