Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Taxa de transmissão cai e pandemia desacelera pela 1ª vez desde novembro

Dados da Imperial College mostram que o índice no país caiu para 0,93

Por Giulia Vidale Atualizado em 27 abr 2021, 17h50 - Publicado em 27 abr 2021, 12h08

Pela primeira vez em quase cinco meses, o Brasil conseguiu reduzir a taxa de contágio do novo coronavírus para um nível considerado de controle da pandemia. Segundo dados do último levantamento da Universidade Imperial College de Londres, no Reino Unido, a taxa de contágio do país nesta semana – que começou na segunda-feira, 26 – está em 0,93 e, portanto, em desaceleração. Dentro da margem de erro, essa taxa pode variar entre 0,80 e 0,95, mas sempre abaixo de 1.

Para a epidemia ser considerada controlada, a taxa de transmissão precisa estar abaixo de 1. O índice, também chamado de Rt, indica para quantas pessoas cada infectado transmite o vírus. A taxa calculada nesta semana indica que cada 100 pessoas contaminadas transmitem o coronavírus para outras 93, em uma progressão decrescente.

Desde dezembro o índice oscilava semanalmente, mas sempre acima de 1. Na semana passada, o Brasil havia conseguido reduzir a taxa para 1,06, o que já representou uma leve redução ante os 1,12 registrados na semana anterior.

LEIA TAMBÉM: O que tirar do estudo que associa os exercícios a menos mortes de Covid-19

A taxa brasileira é menor que a de países como Índia, que tem a maior taxa de transmissão do ranking (1.69), Argentina (1.28), Japão (1.27), Dinamarca (1.26), Canadá (1.12),  Alemanha (1.04), França (1.0), Estados Unidos (0.99) e Reino Unido (0.97). Por outro lado, é superior à dos Emirados Árabes (0.92), Itália (0.89), Portugal (0.68), Suíça (0.65), Espanha (0.60) e igual à do Chile (0.93). A análise contém dados de 71 países com transmissão ativa do coronavírus.

O Imperial College também estimas quantos óbitos pela doença serão registrados na semana. A previsão para esta semana é de 16.800 mortes pela Covid-19, uma redução de cerca de 5% em relação à anterior.

Os dados reforçam a tendência de queda nas curvas da Covid-19 no Brasil. No último sábado, 23, o país apresentou queda real na média móvel de mortes por Covid-19 em relação às últimas duas semanas. Isso também não acontecia desde novembro. As notícias são positivas, mas é preciso cautela até que fique claro se a queda é pontual ou se a tendência irá se consolidar nas próximas semanas. Além disso, os números de novos casos e óbitos ainda estão em um patamar alto e o relaxamento de medidas de segurança pode impactar no aumento das taxas.

Continua após a publicidade
Publicidade