Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Stress causa cabelo branco, mas o dano pode ser revertido, diz estudo

Pesquisa feita pela Universidade de Columbia, em Nova York, mostra que o cabelo pode voltar à sua cor normal

Por Giulia Vidale Atualizado em 12 jul 2021, 12h48 - Publicado em 8 jul 2021, 19h02

Reza a lenda que stress deixa os cabelos brancos de forma precoce. Um novo estudo, publicado recentemente na revista científica eLife, acaba de comprovar que isso é verdade. A boa notícia é que, de acordo com os pesquisadores da Universidade Columbia, em Nova York, o dano pode ser revertido e os fios recuperarem a cor original, se houver redução do nível stress.

“Há décadas tentamos entender a influência do stress no processo de aparecimento dos cabelos grisalhos, e este é o primeiro estudo que mostra uma ligação clara entre stress psicológico e cabelos brancos”, explica Martin Picard, professor em Medicina Comportamental do Colégio de Médicos e Cirurgiões Vagelos, da Universidade de Columbia, e coautor do estudo.

LEIA TAMBÉM: Como o humor mexe com a nossa saúde e as nossas dores

A equipe chegou a essa conclusão após analisar fios de cabelos de 14 voluntários de diferentes idades e compará-los com com o diário de estresse de cada voluntário, no qual os indivíduos foram solicitados a avaliar o nível semanal de stress.

Os resultados mostraram que quando houve redução do stress, alguns fios de cabelo grisalhos recuperavam naturalmente sua cor original, o que nunca havia sido documentado quantitativamente. O caso mais notável é de um voluntário que saiu de férias e cinco fios de cabelo voltaram a escurecer durante as férias, sincronizados no tempo.

De acordo com os pesquisadoras, a mudança de cor não ocorre quando o cabelo está fora do folículo piloso, mas quando está dentro dele. Eles acreditam que a perda de cor se deve a alterações nas mitocôndrias, organelas celulares que fornecem a maior parte da energia para ativar as reações bioquímicas da célula.

“O stress psicológico afeta os processos de energia nas mitocôndrias e, quando as mitocôndrias não funcionam bem, o cabelo perde pigmento”, explica o pesquisador.

Vale lembrar que nem todo cabelo branco pode ser revertido. Por exemplo, os resultados do estudo não valem para o processo natural de envelhecimento nem para pessoas que já têm cabelos grisalhos há muito tempo.

“Existe uma espécie de limiar biológico e, quando o cabelo está próximo a esse limiar, o stress pode afetar o cabelo e torná-lo branco. Quando a fonte de stress é removida, o cabelo pode voltar e recuperar a cor anterior. Mas quando o cabelo ultrapassa esse limite há décadas, é altamente improvável que ele volte a ter outra cor”, afirma Picard.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)