Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

SP amplia vacinação contra a gripe para policiais, professores e carteiros

Secretaria Estadual da Saúde quer imunizar profissionais, especialmente os policiais, antes do início da Copa do Mundo

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo ampliou nesta sexta-feira a campanha de vacinação contra a gripe. A partir de segunda-feira, também poderão ser imunizados na rede pública policiais militares, civis e técnicos científicos, professores e funcionários do Ensino Fundamental e carteiros. Basta que eles apresentem a identificação profissional em qualquer posto de saúde estadual.

A campanha nacional de vacinação deste ano inclui no grupo prioritário crianças de seis meses a cinco anos, pessoas maiores de 60 anos, indígenas, profissionais de saúde, população carcerária, gestantes, mulheres até 45 dias depois do parto e doentes crônicos.

Leia também:

Brasil pode importar e exportar doenças durante a Copa

Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada

De acordo com a Secretaria da Saúde, a ampliação da campanha em São Paulo tem como objetivo proteger esses profissionais antes do início da Copa do Mundo, em 12 de junho, mas a vacinação no Estado ocorrerá até 20 de junho. A previsão é a de que a mudança beneficie cerca de 450.000 pessoas.

“Essa ampliação é muito importante. No caso dos policiais, eles terão contato direto com um grande número de pessoas durante a Copa do Mundo. Entre os professores de Ensino Fundamental, a importância se deve à relação mais direta que esses profissionais têm com as crianças”, diz o secretário de Estado da Saúde de São Paulo, David Uip.

A meta do Estado de São Paulo para a campanha deste ano era a de vacinar 9,2 milhões de pessoas – com a ampliação das vacinações, essa meta passa a ser de 9,6 milhões. Segundo a Secretaria, 8,6 milhões de indivíduos já foram vacinados desde 22 de abril, quando a ação começou.