Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Rio, MG e DF monitoram casos suspeitos da variante Ômicron

Três pacientes que estiveram em países africanos testaram positivo para Covid-19 e infecção pela mutação é investigada

Por Paula Felix 1 dez 2021, 17h28

Três casos suspeitos de infecção pela variante Ômicron do novo coronavírus estão sendo investigados no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Distrito Federal, segundo as secretarias de saúde das localidades. Na capital federal, o paciente viajou no mesmo voo do passageiro infectado que desembarcou no Aeroporto de Guarulhos no último dia 27. Em São Paulo, três casos da nova variante foram confirmados.

Segundo a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, um homem da faixa etária de 40 a 49 anos fez um teste de Covid no dia 29. Ainda de acordo com a pasta, o paciente está assintomático e tomou três doses da vacina contra a doença. Em Minas Gerais, a Secretaria de Estado da Saúde recebeu o registro de uma mulher de 33 anos que veio do Congo e testou positivo para a doença, também no último dia 29. Ela está está internada no Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte. A expectativa é de que o resultado do sequenciamento genético seja divulgado até a próxima sexta-feira, 3. A análise está sendo feita pela Fundação Ezequiel Dias (Funed).

Na cidade do Rio de Janeiro, a investigação é feita em uma mulher de 29 anos que voltou da África do Sul no último dia 21 e, em exames de rotina, foi diagnosticada com Covid-19. Ela está assintomática e a Superintendência de Vigilância em Saúde monitora seu companheiro de viagem e demais contactantes da paciente. Até o momento, não foram registrados outros casos de infecção pelo vírus.

Em São Paulo, a Secretaria de Estado da Saúde confirmou o terceiro caso da nova variante na manhã desta quarta-feira, 1. Foi o caso de um paciente de 29 anos que esteve na Etiópia e desembarcou em Guarulhos no último sábado. Ele fez o esquema vacinal completo com o imunizante da Pfizer e está em isolamento residencial no município. Os outros dois casos são de um casal, um homem de 41 anos e uma mulher de 37, que veio da África do Sul e faria voo de volta. Ao realizar o teste para detecção do vírus, eles testaram positivo e o sequenciamento genético apontou que se tratava da Ômicron. O casal foi imunizado com a dose da Janssen.

A mutação foi relatada pela África do Sul na semana passada e, no dia 26, classificada como uma variante de preocupação pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Continua após a publicidade

Publicidade